Junte-se a mais de 150.000 pessoas

Entre para nossa lista e receba conteúdos exclusivos e com prioridade!

Qual o seu melhor email?

O tema hérnia de disco será o assunto deste presente texto. Aqui, discorreremos sobre esta importante doença que afeta jovens, adultos e idosos e pode ser tratada de diferentes maneiras.

Assim, vamos primeiro entender o significado do nome desta patologia. Hérnia é o nome que se dá para o que está fora do lugar de origem. Portanto, existem vários lugares do corpo em que podem ocorrer hérnias, mas hoje vamos tratar da mais comum, a hérnia de disco.

A hérnia de disco acontece no disco intervertebral, que é uma estrutura gelatinosa, formada por quase 90% de água e colágeno e que fica posicionada entre as vértebras da nossa coluna.

Quero te convidar a conhecer melhor seu corpo e essa região que tanto me fascina pela importância e pela complexidade que tem. Vamos lá?

Relembrando a anatomia da Coluna

A nossa coluna é responsável por diversas funções, entre elas: por abrigar e proteger os nervos, garantir nossa postura em pé, proteger nossos órgãos, servir como apoio para a cabeça e para as costelas e auxiliar na nossa locomoção e equilíbrio. Ou seja: a coluna vertebral tem um papel importantíssimo na evolução humana.

A coluna vertebral é uma parte importante da nossa estrutura óssea, uma vez que representa dois quintos do nosso peso corporal e é dividida em cinco regiões. 

Para entendermos melhor este assunto, vou procurar facilitá-lo ao máximo possível. A informação só se torna conhecimento quando ela é absorvida pelo interessado e quando faz sentido para ele, havendo um aproveitamento satisfatório da informação aprendida.

anatomia-coluna-vertebral

Fonte: <a href=”https://br.freepik.com/vetores/educacao”>Educação vetor criado por valadzionak_volha – br.freepik.com</a>

A cervical (pescoço) possui sete vértebras, a região torácica (entre os ombros e as últimas costelas) tem 12 vértebras, a lombar (entre as últimas costelas e a bacia) contém cinco vértebras, e o sacro e cóccix que são sete vértebras que ficam juntinhas, não tem disco separando as vértebras, e essas ficam dentro do quadril. Contando no total então de 33 vértebras.

O Disco Intervertebral 

Entre as vértebras possuímos uma estrutura chamada disco intervertebral, muito parecido com um chiclete chamado Babalu. Gosto de fazer a associação entre esses dois exemplos para explicar que no disco existe a parte externa, mais rígida do disco, e a parte central, mais mole e maleável, parecida com o chiclete. Assim, este conjunto é capaz de suportar cargas e impactos que são distribuídos de uma vértebra para outra.  

A parte externa do disco se chama anel fibroso, que é composto de várias camadas de anéis; já a outra parte é o núcleo. As duas estruturas são formadas por colágeno e água, e é essa água dentro do disco que facilita a dissipação das ondas de impacto que sofremos ao longo do dia.

anatomia-disco

A hérnia de disco é uma patologia que começou a ficar muito popular e muito conhecida já que é uma das principais causas de dores nas costas

O problema de se ter uma hérnia de disco, é que além de sentir muita dor, a sensação de estar travado pode limitar seus movimentos por um período curto ou até por um período longo.

Nem sempre a pessoa descobre a hérnia de disco em seu estágio avançado, muitas pessoas já percebem um incômodo antes mesmo da hérnia propriamente dita surgir. Esse estágio anterior à hérnia de disco, chamamos de protusão discal.

whatsappA equipe do Programa Dor nas Costas criou um grupo no WhatsApp aberto para todos aqueles que querem receber dicas e exercícios, gratuitamente, para aliviar a dor nas costas. Quer participar? Clique aqui para entrar no grupo!

A protusão discal

Quando a pessoa descobre uma protusão discal ainda é possível que ela consiga retardar o aparecimento de uma hérnia discal. Portanto, isso pode ser feito principalmente por meio de exercícios de fortalecimento da musculatura que envolve a coluna.

Pessoas que possuem uma protusão discal podem apresentar dores muito intensas, assim como pessoas que possuem hérnia de disco. Porém, nem todas as pessoas que têm hérnia de disco tem um quadro de dor incapacitante, ou limitante, a ponto de ficar de cama, por exemplo.

Uma pessoa que descobriu uma protusão discal deve redobrar os cuidados com sua coluna para que esse problema não evolua para uma hérnia de disco e cause maiores transtornos.

Muitas profissões colocam as pessoas na posição sentada por longos períodos e este comportamento é um dos grandes responsáveis por problemas nos discos vertebrais.

Esse tipo de disfunção na coluna costuma afetar muitas pessoas gerando afastamento do trabalho devido a crises, oriundas de protusões discais ou de hérnias de disco. Por esse motivo, é cada vez mais comum empresas investirem em exercícios laborais.

 Pense comigo: se a nossa coluna foi feita para suportar as cargas do dia a dia e transferi-las para os membros inferiores (nossas pernas), quando estamos sentados não há para onde essa pressão ou impacto se dispersar.  Enquanto você trabalha sentado, com a sua coluna e seu abdômen relaxados, há uma descarga de peso sobre as suas costas e o ponto final será o seu quadril, e muito próximo do final da sua coluna vertebral, a lombar. 

A hérnia de disco é algo cada vez mais frequente nas pessoas e esta patologia pode ser causada por diferentes fatores mas que resultam em uma lesão dos discos que compõem a coluna vertebral, mais comuns na região da lombar, depois da região cervical, raramente aparecendo na região torácica.

Além disso, como esta é uma doença crônica e degenerativa, não é possível recuperar os tecidos que foram danificados. 

Dores provenientes de uma hérnia de disco causam muita preocupação, além de impactos financeiros e emocionais altíssimos, afetando indivíduos economicamente ativos e prejudicando suas atividades sociais e de trabalho.

A minha experiência com a Hérnia de Disco

A primeira pessoa que eu soube que recebeu o diagnóstico de hérnia de disco foi a minha mãe, fato que me fez querer estudar cada dia mais essa patologia.  Também me interessei pelas formas de tratar este problema de maneira eficaz para, assim, melhorar a vida de quem me deu a vida. 

Muitos anos depois, meu pai também recebeu o diagnóstico de hérnia de disco após um episódio de travamento do tronco em posição antidor (antálgica). Neste caso, a pessoa sente uma dor muito forte e em alguns movimentos esta dor tende a piorar. Porém, às vezes essa dor também melhora, o que leva a pessoa a procurar uma posição de conforto.

Por fim, para completar a situação, meu esposo também já teve duas hérnias de disco entre as últimas vértebras da lombar.  Ou seja, já presenciei várias pessoas próximas de mim passando pelas dores da hérnia de disco.  

Portanto, o que eu posso concluir com a experiência que tenho com a minha família é que é possível conviver com esta patologia sem se limitar, continuar realizando suas atividades cotidianas com qualidade e segurança.

Muitas pessoas chegam ao meu estúdio preocupadas com o diagnóstico médico que receberam, achando que nunca mais poderão ter uma vida normal. Logo, eu explico para elas que, pela minha experiência, elas podem ficar tranquilas. É possível sim recuperar as funções da coluna de forma satisfatória e voltar a realizar suas atividades diárias.

Entretanto, infelizmente alguns profissionais da saúde limitam seus pacientes, dizendo a eles que não poderão mais fazer uma coisa ou outra – isso quando não recomendam repouso absoluto ou relativo.

Logo, como o sedentarismo é uma das principais raízes do problema, o repouso nunca será a solução!

A importância do pensamento positivo 

mulher-sorrindo-mesmo-com-hernia-de-disco-

A positividade em relação ao problema é muito importante, pois acreditar na solução já é a primeira parte do tratamento. Saber o que foi traçado pelo profissional do movimento será suficiente para devolvê-lo à vida normal.

A hérnia de disco não vai conseguir paralisar uma pessoa que busca ser ativa e produtiva, mas vai derrubar quem focar somente no problema e imaginar que todos os movimentos realizados irão resultar em dor.

Para quem não acredita na melhora, costumo contar a experiência com meus familiares. Com isso, estimulo o diálogo entre os clientes nos momentos dos atendimentos, logo, esta troca de experiências pode convencer o novo cliente de que ele está no caminho certo para sua recuperação.

Portanto, se você teve um diagnóstico de hérnia de disco, não se desespere. Seja positivo e procure um tratamento adequado.

Mas afinal, o que é hérnia de disco?

hernia-de-disco

A protrusão é um estágio anterior da hérnia, e representa uma leve deformação dos anéis fibrosos, consequência da pressão realizada das vértebras sobre o disco e pode provocar dor ou não.

A hérnia de disco acontece a partir do envelhecimento do disco que fica entre as vértebras da nossa coluna. Há uma perda de qualidade dos anéis mais externos do disco, que são a parte mais rígida, e nele vão abrindo fissuras por onde o núcleo (parte mais mole do centro) encontra espaço para passar devido à movimento ou esforços repetitivos.  

Essa passagem do núcleo para algum lugar, pode acontecer de forma central, mas pode ocorrer também para algum lado e encostar nos ligamentos. Este movimento pode empurrar a medula espinhal, gerando dor, reações nos movimentos ou na sensibilidade por onde passa o nervo que foi empurrado pela hérnia. 

Assim, as regiões mais afetadas pela hérnia de disco são a lombar e a cervical. A lombar, por manter a posição sentada por períodos prolongados, e a cervical, pela fraqueza da musculatura e postura incorreta.

Uma gelatina que deixamos muito tempo na geladeira, já fez essa experiência?

 A gelatina vai ressecando nas suas laterais e se formam rachaduras. Mas o centro ainda permanece firme. 

Qual é a prevalência?

É assustadora a quantidade de pessoas que possuem hérnia de disco, que são registrados e computados pelo IBGE, e considere que há milhares de casos não registrados e também os assintomáticos.

Em abril de 2018, o IBGE divulgou que no Brasil, eram mais de 5,4 milhões de pessoas com hérnia de disco. Então podemos imaginar quantas pessoas no mundo podem ter esse problema?

Quais são os sintomas da hérnia de disco?

Os sintomas mais comuns da hérnia de disco, são conhecidas também como as dores do ciático, ou do nervo ciático (ciatalgia ou lombociatalgia). 

Quando o começo do nervo é irritado pelo núcleo do disco intervertebral, se inicia uma dor com características de queimação constante que pode irradiar por uma ou pelas duas pernas. 

Podem ser dores descritas como:

  • Fisgadas;
  • Pontadas;
  • Agulhadas;
  • Formigamento;
  • Dormência;
  • Coceira;
  • Pressão em uma parte ou na extensão completa do nervo afetado. 

Então, a dor pode ser irradiada pelo lado ou pela parte de trás da perna. Até em alguns casos o paciente pode sentir parestesia, ou seja, uma sensação desagradável, anormal.

O mais interessante é que algumas pessoas sentem sintomas entre o joelho e tornozelo, mas a raiz do problema não está nessa parte, e sim no incômodo do disco na medula. Isso acontece porque o disco pressiona o nervo e provoca sintomas diferentes em cada indivíduo que desenvolve a hérnia de disco.

 Vou citar um exemplo por experiência própria:  quando meu pai começou a sentir dores que irradiavam do joelho até o dedo do pé, pouco tempo depois ele passou por um episódio de travamento e teve que realizar uma ressonância magnética. Logo, este exame constatou a hérnia de disco presente nas últimas vértebras lombares. 

Certa vez, outro membro da minha família relatou estar sentindo um formigamento em toda a região da panturrilha. Então, ele foi ao médico para verificar o sintoma e, após exames, descobriu que não era de origem circulatória e sim um sintoma do nervo ciático (neurológico) vindo da sua coluna, causado por uma hérnia de disco. 

whatsappA equipe do Programa Dor nas Costas criou um grupo no WhatsApp aberto para todos aqueles que querem receber dicas e exercícios, gratuitamente, para aliviar a dor nas costas. Quer participar? Clique aqui para entrar no grupo!

Como a Hérnia de Disco se forma? 

O envelhecimento e os hábitos de vida são as principais origens de formação da hérnia de disco. Por exemplo: se uma planta precisa de água, mas você não regar, ela morre. O mesmo acontece com o seu disco. O disco está localizado entre as vértebras e é composto de água e colágeno e sua função é suportar impactos. Portanto, quanto mais impactos e menos água, mais seu disco irá ressecar.

Assim, como consequência do ressecamento, as rachaduras vão se formando a partir das bordas mais laterais para o centro. Logo, quando a parte central é pressionada (por um esforço ou impacto) o “recheio” do disco passa pela rachadura e pressiona os ligamentos e a medula, o que causa dor e desconforto.

Quando os discos estão cheios de água, estão saudáveis, mas quando eles vão ressecando e rachando, vão deixando de realizar seu papel e envelhecem.

Quais são os tipos de Hérnia de Disco existentes?

As hérnias de disco podem ser classificadas como: protrusas, extrusas e sequestradas.

Já em relação à localização das hérnias em relação à raiz nervosa, são: subradiculares, laterais à raiz, médio radiculares ou sequestradas e de acordo com seu nível encontrado.

A protusão é uma deformação dos anéis fibrosos em decorrência da pressão realizada pelo núcleo. Mas na extrusão o núcleo extravasa pelas rachaduras do anel fibroso, um estágio antes da hérnia. 

Outro tipo de alteração discal menos comum é a sequestração, no qual o núcleo explode e atinge o espaço da medula, por onde os nervos passam, parecendo uma gota de parafina que escorreu pela vela, podendo deslocar-se pelo espaço que encontra.

Diante disso, anatomicamente esse extravasamento do núcleo pode ser anterior (o que é mais raro) ou posterior, a situação mais comum. Das hérnias discais lombares, 90% estão localizadas em L5-S1 e L4-L5.

Cervicobraquialgia: o que é

Também, há o surgimento de hérnias de disco na região cervical. Assim como a ciatalgia acontece nos membros inferiores, a hérnia de disco gera dor nas pernas. Uma hérnia de disco na cervical pode gerar dores que começam nos ombros e irradiam até os dedos, ou em alguma parte dos membros superiores. Estas dores são chamadas de cervicobraquialgias. 

Geralmente, tais sintomas começam a partir da terceira ou quarta década de vida. Nas fases iniciais de degeneração dos discos, estes começam a ficar mais arredondados e começam a atingir pequenas partes da medula, ou seja, dos nervos que por ali passam.

Alguns estudos descrevem o rompimento dos anéis do disco intervertebral e classificam as hérnias como: contida, não contida, extrusa  subligamentar ou trans ligamentar e sequestrada.

Em consequência desse extravasamento do espaço que o disco ocupa, inicia-se um processo inflamatório pela presença do fragmento tocando os nervos de forma central ou lateral. Assim, este processo resulta em uma cervicobraquialgia, ou seja, dores que iniciam no pescoço e irradiam para os braços.

Portanto, o disco saindo de sua região normal e atingindo estruturas próximas, caracteriza as radiculopatias, que na lombar causam lombociatalgias e na cervical as cervicobraquialgias.

Em algumas pessoas, a hérnia de disco na cervical pode provocar uma sensação de anestesia na região que o nervo passa, podendo ocorrer também uma redução no reflexo  da musculatura. Esta redução de reflexo pode ser testada no cotovelo, se há uma investigação de hérnia na cervical, ou no tendão de Aquiles, se a investigação for uma hérnia de disco lombar.

Como a hérnia de disco pode afetar suas atividades diárias e sua qualidade de vida?

dor-nas-costas-mulher

A maior limitação de quem tem hérnia de disco é a dor, pois diante de uma crise a pessoa vai buscar uma posição de conforto, o que nem sempre é a melhor saída. 

Por conta da dor, o paciente com hérnia de disco tende a parar de se movimentar, por medo da dor que imagina que vai sentir. Logo, ele fica com receio de fazer qualquer exercício e passa a, por vezes, prever a dor de maneira exagerada. Você por acaso se identificou com essa situação?

As primeiras quatro semanas após uma crise são as mais intensas. Mesmo assim, não é recomendado que a pessoa fique em repouso absoluto. O indivíduo que deixa de fazer suas atividades normais do dia a dia por conta da dor, acaba estendendo seu sofrimento e ainda, quando não busca ajuda médica, fica em casa tentando se recuperar sozinho.

Também é comum algumas pessoas em crise de hérnia de disco fazerem uso de medicamentos inadequados e buscarem por ajuda médica só depois de perceberem que não o remédio não melhora seu quadro de dor.

Estatísticas revelam que há um alto índice de afastamento do trabalho por patologias da coluna. Estes dados são preocupantes para empresas que se veem perdendo seus funcionários. Então, para solucionar este problema, muitas empresas buscam estratégias como a prática de exercícios laborais constantes, além de incentivarem seus colaboradores a praticarem atividades físicas com parcerias em academias e lugares especializados.

É nosso dever como profissionais da saúde conscientizar os pacientes de que o diagnóstico de hérnia de disco não definirá suas vidas com dores e lamentações. Se você quiser ficar bem, é possível; mas só através de tratamento adequado e uma rotina com atividades físicas regulares, procurando prevenir futuros desconfortos.

Como dizem alguns colegas de profissão, diagnóstico não é destino!

Como aliviar a dor da hérnia de disco?

Diante de uma crise aguda, ou seja, uma hérnia de disco que causou um grande estrago nos seus nervos, o tratamento através de medicamentos será a primeira estratégia adotada pelo médico.

Após essa crise, poderá iniciar exercícios e um tratamento auxiliar para redução de dores. Já o terceiro passo é aderir a um programa de exercícios regulares para manter seu corpo saudável e livre de dores. 

Para isso, uma ótima solução é o Programa de Tratamento “Hérnia de Disco, não!” que com preços acessíveis, oferece exercícios para serem feitos em casa

Para aliviar sua dor, o ideal é que ocorra uma descompressão dos discos que estão formando as hérnias. Logo, isso pode ser trabalhado facilmente nas aulas de Pilates.

Se a hérnia de disco for provocada por uma compressão no disco e um extravasamento do seu núcleo para direção da medula, com a diminuição da pressão sobre o disco, teremos um alívio pelo menos momentâneo.

É importante lembrar que fortalecer a musculatura que circula a coluna deve ser a principal preocupação de quem passou por uma crise de hérnia de disco. Além disso, é com isso que o profissional de fisioterapia ou educação física deve lidar, até que o paciente possa retomar seus movimentos de forma satisfatória.

Exercícios que movimentam o quadril e a coluna, inicialmente sem carga, são os que mais aliviam as dores provocadas por uma hérnia de disco.

Muitas pessoas acham que nunca mais poderão fazer atividades que gostam, pois possuem uma hérnia de disco, duas ou três, mas isso não é verdade. Já recebi pessoas com diagnóstico de hérnia de disco, buscando ajuda e  a solução completa das suas dores, entristecidos  por não poder fazer o que tanto gostam. Contudo, nestas situações, a melhor estratégia é motivar o paciente e mostrá-lo que é possível sim retomar todas as suas atividades, inclusive a prática de esportes da sua preferência. Porém, para que essa retomada seja eficaz, é necessário ter consciência dos seus movimentos e maior percepção dos fatores lesivos.

A correção ou a reeducação de movimentos repetitivos será importante para manutenção desse aluno ou paciente sem desconfortos.

Depois que o indivíduo passou a fase aguda subcrônica de dor e entra na fase crônica, ou seja, faz mais de três meses que ele passou por uma crise de hérnia de disco, é o momento de introduzir alguns exercícios e movimentos domiciliares, para ajudá-lo a se manter bem.

whatsappA equipe do Programa Dor nas Costas criou um grupo no WhatsApp aberto para todos aqueles que querem receber dicas e exercícios, gratuitamente, para aliviar a dor nas costas. Quer participar? Clique aqui para entrar no grupo!

Quais são os fatores de risco e hábitos que podem intensificar o desenvolvimento da hérnia de disco?

Os fatores de risco para o surgimento de uma hérnia de disco são, principalmente, os 2 seguintes:  genética e sedentarismo.  

Quando o organismo tem uma predisposição ao surgimento de hérnias de disco, o indivíduo deve ficar atento e prevenir ao máximo que conseguir o aparecimento dessas hérnias. Porém, aqueles que não tem esta pré-disposição genética mas adotam estilos de vida sedentários podem desenvolver hérnia de disco ainda jovens.

Além disso, excesso de atividades físicas também podem intensificar o surgimento de hérnias de disco, pois o que chamamos de overuse (excesso de trabalho), pode também desgastar as estruturas do disco. Por isso, tudo na vida deve ter um equilíbrio.

A desidratação dos discos que ficam entre as vértebras é um fator irreversível, porém, o indivíduo que mantém uma hidratação corporal adequada e horas de sono reparadoras, poderá retardar o aparecimento das hérnias.

Lembra que eu disse que quase 90% do disco é formado por água e colágeno?  Então, se o seu organismo estiver desidratado, não há como não desidratar os discos .Mas agora você deve estar se perguntando qual é a ligação do sono com os discos… pois eu vou te explicar!

Quando estamos em pé a gravidade está nos puxando para o chão, consequentemente, nossa coluna está nos sustentando e segurando todo o peso e todo o impacto que vem da gravidade.

Mas quando não estamos em pé e sim deitados dormindo, ocorre uma reidratação dos discos pois na posição deitada a gravidade não nos atrapalha. Logo, quando estamos deitados a pressão nos nossos discos diminui já que eles não estão empilhados uns sobre os outros como na posição sentada ou em pé. Portanto, é por isso que boas horas de sono colaboram com a recuperação dos esforços do dia.

pessoa-dormindo-hernia-de-disco

Então, meu conselho para você nesse momento é que você beba água, caso você queira manter seus discos saudáveis o suficiente para suportar os impactos do dia a dia.

É importante lembrar também que um movimento que pode desencadear a famosa travada nas costas é o de levantar um peso com a coluna arredondada. Este movimento transfere toda a força do indivíduo para a coluna, sobrecarregando esta região ao invés de distribuir o peso para as pernas. Além disso, esta força exagerada pode desencadear pressão no disco que, se tiver contiver fissuras, terá grande chance de gerar uma protusão ou hérnia de disco, principalmente na lombar.

Este tipo de movimento pode ser derivado de pegar objetos do chão, pegar uma criança do chão e segurar no colo, arrastar os móveis da casa para fazer limpeza, entre outros exemplos. 

Existem outras doenças que possam estar relacionadas à hérnia de disco?

homem-dor-nas-costas-hernia-de-disco

Fonte: <a href=”https://br.freepik.com/fotos/fundo”>Fundo foto criado por jcomp – br.freepik.com</a>mas com o download?

Hoje em dia, o sedentarismo e a obesidade já são consideradas doenças  pela Organização Mundial da Saúde. Em decorrência desses dois problemas, muitas outras doenças podem ser agravadas rapidamente no corpo do paciente.

O envelhecimento do disco ocorre naturalmente para todos os indivíduos, mas o que vai determinar em qual fase da vida esse processo vai ser acelerado serão os hábitos diários deste indivíduo.

Há pessoas que trabalham com cargas, carregando pesos, com impactos físicos constantes, o que pode acelerar o processo de envelhecimento dos discos. O esforço físico exacerbado transforma a energia em calor e nos faz transpirar,  logo é preciso repor essa quantidade de água perdida pelo organismo, para que não haja prejuízo para as nossas estruturas, tanto órgãos, quanto pele e músculos por exemplo.

Mas você lembra que o disco é quase 90% composto por água?  Então o nosso corpo precisa estar extremamente hidratado para que os discos se mantenham saudáveis, recebendo e distribuindo os impactos que sofre durante o dia e se recuperando e hidratando durante a noite de sono reparador.

Nem sempre o indivíduo tem outra patologia associada ao surgimento de uma hérnia de disco. Inclusive, muitas pessoas não chegam nem a descobrir que possuem esta patologia, pois apresenta só dores lombares ao longo de sua vida. 

Como é feito o diagnóstico da hérnia de disco?

Existem algumas manobras que esticam o nervo ciático e, dependendo do relato do indivíduo, pode-se concluir se ele tem algum problema de origem neurológica, geralmente de disco.  

Para este diagnóstico, o profissional deve colocar o paciente na posição deitada e pedimos para que ela eleve uma perna totalmente esticada o máximo que conseguir. Esse movimento é chamado de teste de elevação da perna estendida, que Lazar Lazarevic descreveu em 1980. 

Teste negativo: o indivíduo normal que levanta a perna, ou seja, seu membro inferior com o joelho totalmente estendido, causando uma tensão no nervo ciático, quando está saudável não há nenhum sintoma associado a esse movimento;

Teste positivo: se o indivíduo tiver uma hérnia discal, esse movimento de subir a perna esticada será desconfortável e pode provocar dores parecidas com as queixas em outras posições.

Este teste é uma maneira de verificar a saúde do seu nervo ciático sem utilizar nenhum material. Logo, esse é um teste que fazemos com clientes que aparecem para atendimento se queixando de dores que irradiam ou são localizadas na região glútea mas não foram buscar ajuda médica ainda

A partir desse teste simples, pedimos para a pessoa que se queixa de dor procure um médico que poderá lhe solicitar exames como ressonância magnética ou tomografia computadorizada para que o diagnóstico seja realizado de forma precisa e o tratamento adequado seja iniciado. 

ressonancia-menina-hernia-de-disco

Caso o médico solicite somente o Raio-X, não será possível observar o que acontece com o disco intervertebral, já que o Raio-X é uma ferramenta para ver problemas nos ossos e não diagnostica as partes moles, como é o caso do disco que fica entre as vértebras.

Portanto, é imprescindível que o médico entenda as dores e necessidades do paciente para, a partir disso, solicitar exames de imagem que complementem o diagnóstico.

Esse teste de elevação da perna, por exemplo, pode evidenciar hérnia na lombar da coluna, ou seja, a parte mais baixa que está próxima do quadril.

Teste Lasegue e a atenção ao paciente

Além deste teste, existe outro chamado Lasegue que é realizado em duas etapas:  primeiro, realiza-se o teste de elevação da perna estendida, anteriormente descrito. Em seguida, realiza-se uma flexão do quadril com joelho fletido, ou seja, a perna avaliada ficará numa posição como se o indivíduo estivesse sentado, com quadril e joelhos dobrados, juntamente com a elevação estendida da outra perna. 

Então, se o indivíduo não tiver nenhum problema nos nervos, realizará os movimentos de forma natural e tranquila, mas se a sua raiz nervosa estiver comprometida, terá sintomas característicos de uma hérnia de disco lombar.

É muito comum que a pessoa que está realizando o teste verbalize exatamente qual é a sensação no momento, e é importante que o avaliador perceba se o sintoma é realmente neurológico ou caracteriza simplesmente uma sensação de alongamento da musculatura.  

É muito comum alguns indivíduos, relatarem que estão sentindo uma dor em uma certa parte do corpo mas quando o profissional lhes questiona qual exatamente é essa sensação eles dizem que é uma sentem como um estiramento, como se os músculos fossem rasgar. Nessas situações, é preciso explicar ao paciente que aquela sensação é normal e esperada para aquele exercício. 

Entretanto, se a dor que a pessoa relata é de queimação, fisgada ou pontada, é melhor interromper o exercício imediatamente para que o nervo que está sendo estressado volte ao repouso.

Nem sempre uma pessoa em crise de hérnia de disco, ou com o diagnóstico de hérnia de disco recente, conseguirá fazer alguns alongamentos, pois o estiramento do nervo causará incômodos.

Portanto, para isso, é necessária sensibilidade por parte do médico ou profissional em perceber quando realmente a dor é lesiva e prejudicial ou quando é apenas dor muscular. Esse diagnóstico se torna muito mais fácil quando nós treinamos os exercícios e estudamos para entender o que exatamente é esperado que o nosso paciente ou aluno sinta ao realizar aquele movimento.

Em alguns casos, o indivíduo se depara com dores incapacitantes ou outras dores lesiva, porém, nada relatam ao seu avaliador. Por esse motivo, os questionamentos feitos aos pacientes devem sempre serem aprofundados, principalmente quando nos deparamos com pessoas mais velhas, sedentárias ou que nunca praticaram nenhum tipo de exercício físico. Logo, estas pessoas pouco saberão sobre as reações fisiológicas dos movimentos e o que elas devem ou não sentir ao realizá-los. 

Quais profissionais podem realizar o tratamento da Hérnia de Disco?

Muita gente não sabe, mas tanto fisioterapeutas quanto professores de educação física estão aptos a trabalhar com este tipo de reabilitação. Surpreso com esse dado?

Pois é, profissionais de educação física trabalham inclusive em hospitais com reabilitação cardíaca e são aptos a estudarem profundamente assuntos como biomecânica e fisiologia para entenderem problemas nas articulações e músculos, buscando corrigi-los através do exercício físico. 

Quanto mais capacitado for o profissional que vai atendê-lo, mais rápido será sua recuperação e mais completa será a solução do seu problema.

Mas é importante ter em mente que não há como reverter o quadro de uma hérnia de disco pela característica degenerativa e continuidade da patologia. Porém, com tratamento, é possível uma vida normal, desfrutando de todas as funcionalidades do seu corpo sem dores contínuas ou mesmo alguns episódios.

Uma vez iniciada a degeneração dos discos que ficam entre as vértebras será  muito difícil a recuperação deles, porém, o status da hérnia de disco não será um empecilho definitivo para nada em sua vida.

Deve-se atentar também a alguma tarefas do dia a dia que podem dificultar a diminuição da dor. Se no tratamento fisioterápico o profissional tenta reabilitar seu problema mas na sua casa ou no seu trabalho o fator que faz a gera a lesão nos seus discos ainda é mantido, a recuperação nunca será completa.

Se a semana possui 168 horas, não serão duas ou três dessas horas que definirão o sucesso do seu tratamento, mas sim, o esforço conjunto do paciente do que aprendeu na sessão utilizando também no dia a dia. O indivíduo deve observar como se comportam suas posturas, seus movimentos repetitivos ou esporádicos que realiza durante a semana para relatar quando há melhora ou quando precisa ser feito algum ajuste no tratamento. 

O profissional do movimento deve prestar atenção às explicações do cliente sobre suas atividades e sua rotina, a fim de identificar os pontos que podem ser melhorados, reorganizando e reeducando os movimentos dessa pessoa.

whatsappA equipe do Programa Dor nas Costas criou um grupo no WhatsApp aberto para todos aqueles que querem receber dicas e exercícios, gratuitamente, para aliviar a dor nas costas. Quer participar? Clique aqui para entrar no grupo!

Como tratar a hérnia de disco?

mulher-tratando-herinia-de-disco

Fonte: <a href=”https://br.freepik.com/fotos/mulher”>Mulher foto criado por freepik – br.freepik.com</a>

O tratamento da hérnia de disco conservador consiste em medicamentos e fisioterapia, e a outra forma é a cirurgia, mas somente quando os sintomas persistem ou oferecem riscos graves ao portador.

Os medicamentos que são indicados pelos médicos geralmente não deixam o cérebro reconhecer a informação de dor que o corpo está sinalizando, ou seja, eles não curam, não resolvem o problema e muito menos tratam a causa dele. Se engana quem acredita que após um período de tratamento com remédios, nunca mais sentirá dores.

Sim, os anti inflamatórios reduzem a sensação de dor vinda da inflamação que o disco causou, por ser um corpo estranho na estrutura dos nervos. Mas concorda comigo que se o núcleo do disco continuar comprimindo a raiz do nervo, a inflamação vai continuar?

Pois é, então se não for tratada a causa, o problema vai voltar, sem solução definitiva. Por isso é importante movimentar-se!

Porém, se o tratamento conservador não amenizar as dores, a cirurgia pode ser necessária. Se o paciente apresentar perda de sensibilidade e/ou força no trajeto do nervo afetado, incontinência urinária ou fecal, podem ser alguns dos sinais de que a cirurgia é a única alternativa.

Alguns pacientes optam pela cirurgia por não suportarem o desconforto no trajeto no nervo, ou não conseguem aguardar o efeito do tratamento conservador.

Mas a cirurgia é indicada em menos de 5% dos portadores de hérnia de disco e deve ser uma decisão criteriosa, pois se mesmo com a cirurgia não houver melhora do quadro do paciente, será mais difícil ter sucesso com o tratamento com remédios.

Também, entrando nas condutas de tratamento através do movimento, temos diversas abordagens: movimentação passiva das articulações envolvidas, liberação de pontos gatilhos, relaxamento da musculatura com isometria, orientação como elevar um peso corretamente, tração ativa e/ou passiva para diminuir a pressão nos discos, fortalecimento da musculatura superficial e profunda do tronco.

Como prevenir a hérnia de disco?

Manter uma rotina saudável é a melhor forma de prevenir o surgimento precoce de uma hérnia de disco, seja cervical ou lombar.

Para isso, é necessário hidratação, repouso e postura correta ao elevar objetos. O paciente deve observar a própria postura no dia a dia, e permanecer longos períodos sentado for algo constante na rotina do indivíduo, deve-se reservar alguns minutos para levantar e esticar a coluna para aliviar a pressão dos discos.

mulher-se-espreguiçando-previnindo-hernia-de-disco

Porém, como a hérnia de disco é resultante do envelhecimento e desgaste natural da nossa coluna, ela será inevitável para muitas pessoas. Contudo, com certeza bons hábitos e cuidados com a saúde irão desacelerar esse retardar esse processo.

Hérnia de disco tem cura?

A hérnia de disco não tem cura, porém é totalmente possível que a pessoa realize todas as atividades do seu dia a dia sem desconfortos, sem nenhum episódio de dor intensa ou de travamento. 

Muitas pessoas têm uma vida normal, fazem aulas normalmente, com exercícios de Pilates ou funcionais. Há também quem passe por um tratamento eficaz e gradativamente volte para atividades como futebol, tênis, crossfit, entre muitos outros esportes.

Se você está lendo esse artigo, desconfiado do seu diagnóstico ou com a certeza dele, se acalme! Seus movimentos deverão ser calculados agora, e espero que tudo que estou descrevendo aqui sirva para te ajudar a melhorar sua qualidade de vida e que você encontre o melhor tratamento para o seu problema. Se você está aqui para se informar mais sobre o assunto, já sugiro: invista em prevenção para hérnia de disco.

Logo, para você que está lendo isso, aconselho: Beba água, descanse, corrija posturas erradas, pratique exercícios físicos e procure um programa de tratamento.

Quais são os exercícios mais indicados para hérnia de disco?

Existem várias sugestões de exercícios para hérnia de disco. Eu separei alguns exercícios básicos para quem tem ou quer prevenir dores resultantes de uma hérnia de disco. 

Crie alguns bons hábitos para uma coluna saudável, insistindo dia após dia, para que esses esforços se tornem rotina:

  • Comece o dia se espreguiçando ainda  na cama e movimentando pernas e braços de forma suave;
  • Vire de lado, apoiando os braços para ajudar a levantar;
  • Levante da cama fazendo uma força para empurrar o chão, ativando os glúteos para levantar;
  • Procure uma boa postura no dia a dia;
  • Eleve o celular na altura dos olhos, ao invés de baixar a cabeça para utilizá-lo;
  • Não eleve pesos sem proteger sua coluna, sempre agache, deixe a coluna firme e levante fazendo força nas suas pernas.
  • Quando levantar, imagine que há um fio te puxando pelo topo da cabeça.

Essas são algumas dicas básicas para sua coluna demorar mais para apresentar dores, principalmente vindas de hérnias de disco.

Conclusão

Trabalho com Pilates há 12 anos e posso garantir a você que este é um tratamento excelente para todas as patologias de coluna. O ganho de força e flexibilidade que o Método proporciona é extremamente funcional para nossas atividades diárias.

Informação sobre o tratamento da hérnia de disco devem chegar ao máximo de pessoas possível! Portanto, espero ter contribuído de forma eficiente com meus leitores, dando dicas úteis e fáceis para o dia a dia, seja para quem tem hérnia ou para quem quer se prevenir delas.

Para quem descobriu uma hérnia de disco, ou até mais de uma, quero deixar claro que há esperança e que você pode ter sua vida de volta em meses, se seu tratamento for adequado.

É hora de investigar seu diagnóstico e organizar sua rotina para que esta patologia não atrapalhe sua vida, afinal de contas, ninguém consegue ser feliz e nem ter saúde mental convivendo com uma dor constante.

Obrigada por chegar até aqui, pois é sinal que você está em busca de saúde e vai encontrar bons profissionais para guiá-lo nessa jornada. 

whatsappA equipe do Programa Dor nas Costas criou um grupo no WhatsApp aberto para todos aqueles que querem receber dicas e exercícios, gratuitamente, para aliviar a dor nas costas. Quer participar? Clique aqui para entrar no grupo!

Referências:

Sociedade Brasileira de Neurocirurgia, Sociedade Brasileira de Ortopedia e Traumatologia, Sociedade Brasileira de Reumatologia. Hérnia de disco cervical no adulto: tratamento cirúrgico. Rev. Assoc. Med. Bras. vol.58 no.6 São Paulo Nov./Dec. 2012

Jonatas Sanchez FernandezI; Afrane SerdeiraII; Marcus Sofia ZieglerIII; Carlos Marcelo Donazar SeveroIV; Erasmo de Abreu ZardoV Correlação do sinal de Lasègue e manobra da elevação da perna, retificada com os achados cirúrgicos em pacientes com ciatalgia portadores de hérnia discal lombar. Coluna/Columna vol.11 no.1 São Paulo  2012

Jorge Miguel Silva Ribeiro Olliveira AlvesI; Paulo PeixotoI; Nuno FerreiraI; Rui MartinsI; João CorreiaI; Fernando SilvaII; Carlos Sousa Síndrome de Brown-Séquard por hérnia discal cervical a duplo nível. Caso clínico e revisão da literatura Coluna/Columna vol.11 no.3 São Paulo July/Sept. 2012

ALVARENGA, A. O Método Pilates (Solo e bola) como tratamento para lombalgias decorrentes de escolioses e hérnias de disco. Monografia. USP, São Paulo: 2007.

BATES, A., HANSON, N. Exercícios aquáticos terapêuticos. Ed. Manole, São Paulo: 1998.

BELL, G. & Rothman, R. The conservative treatment of sciatica. Spine .9: 54-56,1984.

BRANDÃO, S.P.A.L., MEJIA, D.P.M.  Método Pilates como Recurso Terapêutico na Hérnia de Disco Lombar.  Pós-Graduação em Ortopedia e Traumatologia com Ênfase em Terapia Manual – Faculdade Faserra. Disponível em: http://portalbiocursos.com.br/ohs/data/docs/238/398-MYtodo_Pilates_como_Recurso_TerapYutico_na_HYrnia_de_Disco_Lombar.pdf Acesso em 15/06/2018.

CONCEIÇÃO, J.S.; MERGENER, C.R. Eficácia do Método Pilates no solo em pacientes com lombalgia crônica. Relato de casos. Rev. Dor. São Paulo, 2012, out-dez 13(4): 385-388.

CRUZ, T. M. F. da. Método Pilates – uma nova abordagem. Editora Phorte, São Paulo: 2013.

DELLA-GIUSTINA,D.A. Emergency departament evaluation and treatment of back pain. Emerg Med Clin North Am 17:877-893,1999.

DUTTON, M. Fisioterapia Ortopédica: exame, avaliação e intervenção. Porto Alegre: Artmed, 2010.

HEARN, E. L. Você é tão jovem quanto a sua espinha. 6 ed. Editora Pioneira, São Paulo: 1974.

GONÇALVES, P.S., LIMA, P.O.P. Percepção de saúde e qualidade de vida: um inquérito com praticantes de Pilates. Rev. Fisioter S Fun., 2014, Jan-Jun: 3(1):11-17. 

GREVE,  J. M. D., AMATUZZI, M. M. Medicina de reabilitação nas lombalgias crônicas. Rocca, São Paulo: 2003.

KONIN, J. G. Cinesiologia pratica para fisioterapeutas. Guanabara Koogan, Rio de Janeiro: 2006.

LARA, F. H. Efeitos da prática de Pilates na hérnia discal lombar. Monografia do curso de Fisioterapia da Universidade do Sul de Santa Catarina. Palhoça SC, 68 Páginas, 2011.

Referências:

LIMA, E.S., MEJIA, D.P.M. O exercício no tratamento da hérnia de disco lombar. TCC da Pós-Graduação em Fisioterapia em Ortopedia e Traumatologia_ Faculdade FAIPE. Disponível em: http://portalbiocursos.com.br/ohs/data/docs/238/398-MYtodo_Pilates_como_Recurso_TerapYutico_na_HYrnia_de_Disco_Lombar.pdf Acesso em: 15/06/2018

LIMA, P.S DE Q; MEDEIROS, M.S.L DE; MENDES, A.C.G.; LAURENTINO, G.E.C.; MONTENEGRO, E.J.N. O Método Pilates no ganho de flexibilidade dos músculos isquiostibiais em pacientes portadores de hérnia de disco lombar. Fisioter. Bras. 10(5); 314-317, set-out, 2009.

LINS, V.M.L., CALDAS, R.R., DE CARVALHO, A.G.C., BARROS, M. DE F. A., GUERINO, M.R., CAMPOS, S.L., DE ARAÚJO, M.G.R. Avaliação da qualidade de vida nos portadores de hérnia de disco lombar praticantes do método pilates.    Ter Man. 2013; 11(54):567-572.

MCARDLE, W.D. Fisiologia do exercício: energia, nutrição e desempenho humano. 6ª edição. Guanabara Koogan, Rio de Janeiro: 2011.

SACCO, I. C. N., ANDRADE , M. S., SOUZA, P. S., NISIYAMA, M., CATUÁRIA, A. L., MAEDA, F. Y. I., PIKEL, M. Método Pilates em revista: aspectos biomecânicos de movimento específicos para reestruturação postural – estudo de caso. Revista Brasileira de Ci e Mov., 2005. Disponível                                                           em:     <http://bases.bireme.br/cgiBin/wxislind.exe/iah/online/?IsisScript=iah.xis&src=google&base=LILACS&lang=p&nextAction=Ink&expr Search=524589&indexSearch=ID> Acesso: 15 julho de 2018.

Sales-Barros, O., Borba-Pinheiro, C.J., Martin Dantas, E.H. Efeito de um programa de treinamento concorrente sobre variáveis de saúde de uma mulher com múltiplas hérnias de disco: caso clínico. Ver Andal Med Deporte, 2016; 9 (2): 95-98.

SOBOTTA, J. Atlas de anatomia. Volume 2: tronco, vísceras e extremidade inferior. 20ª edição.Guanabara Koogan, Rio de janeiro: 1995.

SOUZA, R. R. de. Anatomia humana. Manole: Barueri: 2001.