Junte-se a mais de 150.000 pessoas

Entre para nossa lista e receba conteúdos exclusivos e com prioridade!

Qual o seu melhor email?

Tem alguns profissionais que aliam Pilates e Funcional, mas a grande maioria opta por apenas utilizar uma dessas modalidades, perdendo uma grande oportunidade de melhorar sua aula.

Muitos se justificam afirmando que essas modalidades são completas e não necessitam de nenhum exercício extras para complementar-se.

Amo o Pilates, sou um praticante, instrutor e não troco por nada. Portanto, sei como seus exercícios ajudam na construção de um corpo equilibrado e sem compensações musculares. Mas também adoro o Treinamento Funcional.

Eventualmente percebi que, mesmo sendo completo e não precisando de complemento, minhas aulas de Pilates poderiam ficar melhores.

O mesmo acontece com as aulas de Funcional. Elas não precisavam ser Funcional puro e ganhariam muitos benefícios sendo misturadas.

Então por que não fazer isso?

Por que as pessoas têm medo de misturar técnicas?

Ao criar meu curso MIT percebi que podemos aliar Pilates e Funcional para conseguir melhores resultados. Na verdade, dizer que não podemos usar exercícios de um na aula de outro, não passa de mito e medo.

Muitas pessoas ficam inseguras ao utilizar exercícios de algo com o qual não estão muito familiarizados. Ao invés de buscar conhecimento a respeito do Funcional ou do Pilates, elas escolhem ficar na zona de conforto.

Dessa forma, seus alunos nunca chegam a experimentar a melhor aula que eles poderiam oferecer. Será que esse é o caminho do sucesso para você como profissional?

Aliar Pilates e Funcional é um erro?

É claro que não! Pilates e Funcional são técnicas complementares quando você começa a estudá-las.

O verdadeiro problema para profissionais de várias áreas do movimento é a falta de conhecimento sobre cada uma das modalidades.

Sem conhecer a biomecânica do Pilates, por exemplo, fica difícil conseguir adaptar a aula. Por isso existem tantas pessoas aplicando protocolos prontos em todas as aulas.

Se adaptar aulas de Pilates já é uma tarefa difícil, como fazer isso aliando o Treinamento Funcional? Meio impossível, né?

O mesmo acontece com o Treinamento Funcional. Existem muitos profissionais que sequer aplicam o que vêem na avaliação em aula, porque não compreendem completamente como o exercício afeta os desequilíbrios do corpo.

Com tanta falta de conhecimento realmente fica difícil flexibilizar a aula para conseguir adaptar outras técnicas.

Considero que, para ter uma aula e tratamento de sucesso, precisamos começar com uma avaliação excelente e seguir com um ótimo planejamento de aula.

Tudo deve ser feito para conseguir evoluir o aluno da forma mais eficiente possível. Lembrando que eficiente não significa rápida.

Devemos realizar o tratamento de forma que o próprio paciente perceba sua melhora através do retorno de movimentos funcionais.

Para isso podemos aliar Pilates e Funcional. Logo falarei um pouquinho a respeito dos benefícios que essas duas técnicas trazem quando unidas na sua aula.

Quem já testou encontrou algum problema?

No curso MIT ensino meus alunos a aliar Pilates e Funcional para conseguir os melhores resultados possíveis. Por isso, existem muitas pessoas, além de mim, que já começaram a juntar essas técnicas e que podem dizer o que acham disso.

Por minha parte, considero que minhas aulas só ficaram mais completas! Conseguindo aliar Pilates e Funcional, sem perder a essência de nenhum dos dois, criando um treino com tudo que o aluno precisa quando o assunto é movimento.

Ele melhora:

  • Padrões funcionais;
  • Torna-se mais flexível;
  • Ganha força e equilíbrio;
  • Melhora a respiração.

Seria difícil conseguir os mesmos resultados no mesmo período de tempo usando somente uma das técnicas.

Alguns casos de patologias, por exemplo, realmente precisam da flexibilização que o Pilates proporciona para o corpo. Outros precisam de um fortalecimento mais específico, como o do Funcional. E tudo isso sem contar a quantidade de exercícios que conseguimos adicionar na aula.

Uma das minhas alunas, a Mariana, deixou o depoimento abaixo falando sobre seu uso do Pilates e do Funcional nas aulas:

“Hoje consigo trabalhar com mais flexibilidade e clareza… trabalhando tanto com o Pilates como com o Funcional em uma mesma aula.”

A Marina também teve uma boa experiência e começou a aplicar o Funcional junto de outras técnicas que também ensino no curso. Dá uma olhada no que ela falou:

“Hoje consigo pensar mais além nas minhas aulas de Treinamento Funcional, tanto como fortalecimento, flexibilidade, liberação de fáscia, diversidade em exercícios e acessórios.”

Percebeu como o mito de não poder aliar técnicas nas aulas precisa acabar? Pilates e Funcional são tudo de bom e nós precisamos mostrar isso para nossos alunos!

Conclusão: porque você precisa aliar Pilates e Funcional AGORA!

O Pilates e o Funcional são complementares. O Pilates, por exemplo, nos fornece exercícios excelentes em todos os planos de movimento que ajudam a trabalhar:

  • Fortalecimento;
  • Flexibilidade;
  • Respiração.

No Funcional trabalho com padrões de Movimento Funcional que preparam o aluno ou paciente para os movimentos fora da aula. Ele ajuda a prevenir lesões ou tratar pacientes lesionados e a conseguir um retorno às atividades diárias.

Portanto, não são exclusivos. Algumas vezes eu realmente preciso de um Movimento Funcional para que o aluno aprenda um padrão para o exercício de Pilates mais avançado.

Quando você começar a aplicar essas duas técnicas verá a vantagem que trazem para suas aulas. Para conseguir isso você só precisa de uma coisa: conhecimento.

Conhecer profundamente o Pilates e o Funcional te ajuda a conseguir resultados nas aulas, aplicar o exercício mais adequado e melhorar a retenção de alunos.