Junte-se a mais de 150.000 pessoas

Entre para nossa lista e receba conteúdos exclusivos e com prioridade!

Qual o seu melhor email?

Você já se perguntou qual é o papel do profissional da área de Educação Física na saúde pública? Dentre tantas possibilidades, a atuação em locais como esses é uma das que pode ter maior impacto na vida de uma pessoa.

Um exemplo disto é que, em uma reunião recente entre o Conselho Federal de Educação Física (CONFEF) e a Secretaria de Gestão do Trabalho e da Educação na Saúde (SGTES), a secretária desta afirmou que “a participação dos profissionais de Educação Física em uma equipe multiprofissional pode contribuir para melhorar a qualidade da assistência prestada à população na área da saúde”.

Por isso, que tal entender melhor como podemos contribuir nessas circunstâncias e qual é o impacto da Educação Física na saúde pública? Vamos lá?

O que é saúde pública e as atribuições do profissional de Educação Física

Para começo de conversa, é preciso compreender o que a saúde pública engloba e quais locais e instituições fazem parte dela. Nesse sentido, é importante pontuar que saúde não se trata apenas da ausência de doenças, mas também da manutenção do bem estar físico, psicológico e social. 

Assim, temos que instituições de saúde não têm como função apenas tratar enfermidades, mas também preveni-las e fazer um trabalho de conscientização da população quanto a isso. Entre essas entidades temos:

  • Unidades básicas de saúde;
  • Núcleos de saúde integrada;
  • Centros de reabilitação;
  • Hospitais, entre outros.

Já quanto às atribuições dos profissionais da área, temos que o papel do profissional da área, de acordo com o Código de Ética dos Profissionais de Educação Física inclui aspectos como:

  • Comprometimento com a preservação da saúde do indivíduo e da coletividade, e com o desenvolvimento físico, intelectual, cultural e social do beneficiário de sua ação”;
  • “Promover uma Educação Física no sentido de que a mesma se constitua em meio efetivo para a conquista de um estilo de vida ativo dos seus beneficiários, através de uma educação efetiva, para promoção da saúde e ocupação saudável do tempo de lazer”;
  • “Elaborar o programa de atividades do beneficiário em função de suas condições gerais de saúde”.

A partir disso, percebemos claramente que a atuação da Educação Física deve ser bastante ativa e gerar bons frutos para o bem estar dos indivíduos. A partir daí, qual é o papel de fato da Educação Física na saúde pública? É o que você verá a seguir.

O papel da Educação Física na saúde pública

Como você já percebeu, a participação de um profissional Educação Física na saúde pública, como membro de uma equipe, pode trazer diversos benefícios a todos. Independentemente de tratar-se de atenção em centros centros de saúde pública primária, secundária ou terciária, sua intervenção é essencial.

Nesse contexto, temos que é papel da Educação Física na saúde pública inserir as atividades físicas no cotidiano das pessoas a fim de melhorar sua qualidade de vida. Para isso, alguns pontos devem ser muito bem observados.

Em primeiro lugar, temos que a avaliação do paciente/aluno deve ser feita sempre levando em consideração suas aptidões e limitações físicas. Além disso, possíveis patologias não podem ser desconsideradas.  Por isso, deve-se pensar em aspectos como: 

  • A pressão arterial em pacientes hipertensos;
  • A glicemia em indivíduos com diabetes tipo 2;
  • As limitações e fragilidades de idosos.

Outro ponto importante é que deve-se pensar no estilo de vida do indivíduo, para que as atividades sejam incluídas da maneira mais eficiente possível. Nisso também entra o encargo constante de prescrever atividades físicas sempre de forma segura e individualizada.

Um exemplo da atuação do profissional Educação Física na saúde pública

A partir disso, pensemos em um exemplo simples. Para isso, vamos imaginar um indivíduo com quadro de obesidade. Além do acompanhamento completo sobre sua saúde, é essencial que os exercícios sejam incluídos em sua rotina. Nessa situação, uma das melhores opções é buscar mudanças de hábito simples e pontuais que possam gerar grandes resultados no bem estar físico da pessoa.

Uma alternativa, por exemplo, seria sugerir que a pessoa, caso more em um prédio, passe a usar mais as escadas ao invés do elevador. Para isso, ela pode acostumar-se a subir o quanto conseguir pelas escadas e, quanto sentir-se cansada, optar pelo elevador.

Outra opção seria, caso a pessoa use o transporte público diariamente, orientá-la a descer do ônibus uma estação antes da usual. Assim, ela caminharia alguns metros a mais. Até mesmo ir ao supermercado caminhando pode ser um hábito extremamente benéfico.

Esses exemplos mostram formas de a pessoa lentamente melhorar sua capacidade física. Apesar disso, é claro que alguns cuidados devem ser tomados. A obesidade, como o caso que utilizamos, pode causar prejuízos em articulações como o joelho. Por isso, voltamos ao primeiro ponto, o da avaliação. Deve-se analisar se aquele indivíduo realmente pode realizar tal atividade com segurança.

Conclusão

A saúde pública é, sem dúvidas, uma área que merece atenção e reconhecimento, uma vez que faz muita diferença na vida de quem recebe seu atendimento. A partir deste texto, ficou clara a importância também profissional Educação Física na saúde pública.

Nela, é possível promover a qualidade de vida, agir ativamente no combate ao sedentarismo e prevenir uma série de doenças. Por isso, é possível agir na prevenção, tratamento e reabilitação de incontáveis casos. 

E então, o que acha sobre a atuação da Educação Física na saúde pública? Comente abaixo!