Share, , Google Plus, Pinterest,

Imprimir

Posted in:

Porque um profissional de Educação Física precisa conhecer o Método Pilates?

Muito utilizado atualmente como forma de reabilitação, o Método Pilates tem sido requisitado também para o aumento da resistência física, do alívio do estresse corporal e para controle de peso, por exemplo. Educação Física e Pilates podem andar lado a lado durante a prática de exercícios físicos.

A base do método criado por Joseph Pilates, vem de experiências esportivas – como o mergulho, o esqui, a ginástica e o boxe, por exemplo -, e podem garantir ao seu aluno o ganho de força e flexibilidade. Ele é recomendado, inclusive, para melhora da postura e a redução de dores corporais, ficando muito popular entre artistas, dançarinos e atletas.

Ficou curioso e quer entender como utilizar o método Pilates nas suas aulas? Continue lendo este texto incrível para aprender mais sobre o assunto!

O que é o Método Pilates?

O método Pilates foi desenvolvido pelo alemão Joseph Hubertus Pilates. Criado em 1920, o método aborda um controle consciente de toda musculatura envolvida no movimento. São exercícios terapêuticos que trabalham a contração isométrica da musculatura do assoalho pélvico, junto com o músculo transverso do abdome e multífidos associados com a respiração. Utiliza princípios importantes das forças que atuam em cada um dos ossos do esqueleto.

O método caracteriza-se por movimentos projetados de forma que os executantes mantenham a coluna vertebral em posição neutra, quando no solo, e que realize movimentos de flexão, extensão, rotação e inclinação da coluna de maneira correta, tanto no solo quanto nos aparelhos.

Com isso, o recrutamento muscular que não for auxiliar a realizar aquele movimento será mínimo, o que previne a fadiga precoce e, com isso, gera uma melhora na flexibilidade geral do corpo, força muscular, coordenação da respiração com o movimento, melhora a postura, entre outros fatores.

São exercícios de baixo impacto, baseados em seis princípios indispensáveis para a prática. São eles: concentração, fluidez do movimento, controle, precisão, utilização do centro de força e respiração.

Pilates na atualidade

Recentemente, o Pilates vem sendo usado na reabilitação de pacientes e atletas, no tratamento de desordens neurológicas, dor crônica, problemas ortopédicos e lombalgia, por ser um método recomendado para o ganho de flexibilidade, consciência corporal e qualidade de vida.

Vivemos em uma sociedade estressante, onde temos uma rotina a ser seguida. As pessoas acordam e vão trabalhar. Muitas vezes passam horas e horas sentadas no local de trabalho, ficam presas no trânsito, comem mal – e às vezes nem comem por falta de tempo. Quando estão voltando para casa ou indo busca os filhos na escola, mais trânsito pela frente.

Ao chegar em casa, muitos ainda possuem o trabalho doméstico para fazer, o que acaba por fazer com que a pessoa vá dormir tarde e descanse pouco, gerando ainda mais estresse para aquele indivíduo e, com isso, uma queda na qualidade de vida.

O método Pilates para esse indivíduo irá melhorar a qualidade de vida reduzindo a fadiga, diminuindo o estresse, melhorando o retorno venoso e também ajudando no relaxamento muscular. São diversos os benefícios do método para seus praticantes. E para fisioterapeutas que estão principalmente no estágio da faculdade, também é um ótimo recurso como forma de tratamento para seus pacientes.

Princípios do Método Pilates

Os exercícios que compõem o Pilates são executados levando em consideração 6 princípios básicos do método. São eles que direcionam o profissional durante sua aula/treino. Listamos para você quais são esses princípios e o que eles significam.

  • Concentração – sem este princípio a execução dos exercícios se torna inadequada e o objetivo não será alcançado;
  • Centralização – também conhecido como power house, a centralização é responsável por por unir os músculos flexores, extensores de tronco e de quadril, além da musculatura da pelve, formando uma caixa de força que auxilia o aluno durante a prática;
  • Controle – com ele é possível controlar o movimento, fazendo com que não utilizemos musculaturas desnecessárias ou acessórias durante o exercício;
  • Precisão – está ligado ao controle do corpo para executar exatamente a proposta do exercício;
  • Fluidez – o exercício precisa ser harmônico e belo, proporcionando equilíbrio e evitando opostos;
  • Respiração – além de levar oxigênio para as células do corpo, a respiração é um movimento do diafragma e produz estabilidade na coluna através da pressão intra-abdominal, que aumenta durante a inspiração.

Educação Física e Pilates

Durante a universidade, o educador físico aprende que deve ensinar esportes e atividades físicas para seus alunos, promovendo o desenvolvimento do corpo e da mente, encorajando e corrigindo, observando e planejando da melhor forma a melhoria do ser humano em todos os setores da vida.

O método Pilates se enquadra exatamente nisso! O Pilates foi criado para unir corpo e mente, proporcionando o desenvolvimento de um corpo mais forte, flexível e uma mente mais concentrada e focada. O educador físico pode utilizar o método Pilates para colocar em prática os ideais que aprendeu ao longo do curso.

Embora o Pilates também possa ser aplicado por fisioterapeutas e terapeutas ocupacionais, o educador físico tem a vantagem de possuir um leque maior de atuação, uma vez que qualquer cliente pode ou deve fazer o Pilates com o auxílio de um educador físico.

Para se ter uma ideia, 30% dos studios de Pilates no Brasil são ocupados por profissionais de Educação Física.

Pilates para condicionamento físico

O Pilates não é uma atividade totalmente extenuante e, cada aula, tem de 45 a 60 minutos de duração. Está mais próximo de um exercício moderado com pequenos intervalos entre os exercícios.

É possível usar o Pilates na redução de gordura corporal, embora este não seja o objetivo primário do Método. O metabolismo aeróbico é caracterizado por utilizar gorduras, carboidratos e proteínas para gerar energia.

A utilização de gordura como substância energética varia de acordo com o fluxo sanguíneo no tecido ativo e, quando esse fluxo aumenta, os ácidos graxos livres são levados da célula de gordura para o músculo ativo.

Isso ocorre nas células de contração lenta, onde o suprimento sanguíneo abundante e as mitocôndrias em grande número e tamanho fazem com que aconteça o catabolismo das gorduras. O Pilates, inclusive, pode ser utilizado como uma atividade aeróbica.

Benefícios do Pilates

Os benefícios do Pilates para o corpo são inúmeros, aqui podemos citar alguns deles:

  • Aumento da Resistência Física e Mental
  • Aumento da Flexibilidade
  • Corrige Problemas Posturais
  • Aumento da Concentração
  • Tonifica a Musculatura
  • Melhora a Coordenação Motora
  • Promove menor Atrito nas Articulações
  • Alivia Dores Musculares
  • Ajuda a Melhorar a Respiração e a flexibilidade
  • Auxilia a Prevenção Contra a osteoporose
  • Promove Relaxamento, o Bem-estar e eleva a Autoestima
  • Elimina Toxinas e facilita a Drenagem Linfática
  • Melhora a postura e a Resistência Muscular
  • Expande a Consciência Corporal
  • Ajuda no controle de peso
  • Fortalece os Músculos Abdominais
  • Equilíbrio de todas as Funções do Corpo
  • Além de trabalhar aspectos corporais, como tonificação muscular, postura e condicionamento físico, ele também lida com a parte mental dos seus praticantes, com exercícios de respiração, alongamento e relaxamento, que aliviam a ansiedade e o estresse.

É importante lembrar que todos os exercícios têm por objetivo fortalecer a musculatura estabilizadora profunda do abdômen, promover mobilidade para as articulações, e também reeducação do movimento. Assim como uma melhor consciência corporal, melhora da postura e músculos saudáveis (alongados e tonificados).

Os movimentos realizados durante o Pilates proporcionam um alongamento e fortalecimento que podem parecer simples, mas agem no corpo de forma integrada e individualizada.

Conclusão

Para diferenciar e atrair novos públicos, é sempre bom acompanhar todas as novidades que saem no mundo da Educação Física. Embora o Pilates não seja uma delas, conhecer o método e sua aplicabilidade pode abrir inúmeras portas para o profissional.

O método não é utilizado somente para reabilitação, ele também pode ser utilizado para o controle, flexibilidade e equilíbrio do corpo, além de garantir força muscular para o aluno praticante. Isso favorece a entrada do profissional de Educação Física no mercado de trabalho do Pilates.

 

Referências

Introdução ao Método Pilates: Guia Prático para Profissionais de Educação Física – Luciana Gonçalves Casemiro Ramos de 2016

12 Benefícios do Pilates que você precisa saber! (O número 4 vai te surpreender)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *