Junte-se a mais de 150.000 pessoas

Entre para nossa lista e receba conteúdos exclusivos e com prioridade!

Qual o seu melhor email?

Você possui ou conhece alguém com o colesterol ruim alto? O colesterol é um dos tipos de gordura que são encontradas no organismo das pessoas e funciona como um como um componente estrutural de membranas celulares e pode ser encontrado em vários órgãos, como o coração e o cérebro.

Existem quatro tipos, que são o LDL, que é o colesterol ruim, o HDL, o colesterol bom, além do VDLD e o Total.

O colesterol funciona como um como um componente estrutural de membranas celulares e pode ser encontrado em vários órgãos, como o coração e o cérebro.

O organismo usa esse tipo de componente como uma ajuda para fazer a produção de alguns hormônios, como o cortisol e o estrogênio.

Quando o corpo humano consome uma bandeja muito grande de gordura todos os dias, o fígado pode começar a produzir colesterol em excesso depois de algum tempo.

Isso eleva os níveis de colesterol normais do corpo e criaram o chamado colesterol ruim, que não é nem um pouco saudável. Afinal, ele pode causar doenças, complicações e até mesmo levar alguém a óbito.

__CONFIG_colors_palette __ {"active_palette": 0, "config": {"colors": {"62516": {"name": "Main Accent", "parent": - 1}}, "gradients": []}, "paletas": [{"nome": "Paleta padrão", "valor": {"núcleos": {"62516": {"val": "rgb (19, 114, 211)", "hsl": { "h": 210, "s": 0,83, "l": 0,45}}}, "gradientes": []}}]} __ CONFIG_colors_palette__
EU QUERO BAIXAR AGORA

Por isso, este texto explicará como o colesterol aumenta, dicas de como diminuir o colesterol ruim, além de apresentar alimentos que podem ajudar a melhorar esses níveis. Continue a leitura para entender melhor sobre o assunto!

Quais são as causas para o aumento do colesterol ruim?

As causas do colesterol alto podem ocorrer por diversos fatores, e por isso é necessário estar de olho em todas as questões que envolvam a saúde e alimentação, além de fazer o exame de colesterol periodicamente. Algumas desses princípios são:

  • Histórico familiar;
  • Estilo de vida;
  • Má dieta alimentar;
  • Falta de atividade física.

O fato de cerca de 70% do colesterol no sangue vir do fígado e apenas 30% vir da alimentação, geram uma necessidade de, que depois de passar pelo sangue, faz com que esse colesterol seja removido pelo próprio fígado.

O que significa que os níveis de colesterol ruim aumentam quando o fígado não está capacitado para fazer a sua remoção.

Isso pode variar de pessoa para pessoa, porque a doença pode atingir qualquer idade, desde crianças bem jovens até idosos.

O fato dela não apresentar sintomas a torna uma doença muito mais perigosa do que se pensa, podendo apresentar riscos de grande perigo para a saúde das pessoas, como cáries que resultam na necessidade de uma cirurgia oncológica, por exemplo.

Redução do colesterol ruim

Níveis altos de colesterol ruim podem acabar causando o entupimento das artérias, interrompendo assim a circulação de sangue para o cérebro e outros órgãos.

Essa falta de circulação é a causa de acidentes como o AVC (acidente vascular cerebral) e também de muitas outras doenças cardiovasculares extremamente graves.

Quando os níveis de colesterol estão equilibrados, esses riscos de doenças arteriais e cardíacas diminuem consideravelmente, além de levarem mais saúde e bem-estar ao corpo.

Algumas atitudes são essenciais para evitar a necessidade de cirurgias drásticas e outros procedimentos difíceis e invasivos no caso de problemas graves. 

6 dicas práticas para reduzir o colesterol ruim

1. Ler os rótulos

Todo mundo gosta de dar aquela passada nas franquias de alimentação favoritas às vezes, mas nem sempre é possível saber do que se tratam todos os componentes usados para criar diversos alimentos processados.

Nesses casos, existem alguns produtos que aparecem como promessas mega saudáveis para as pessoas como barras de cereais ou de proteínas.

Também lanches com peito de peru que não deixam tão visíveis o açúcar, o sódio e outros itens usados na sua composição, podem ser péssimos para a saúde de qualquer pessoa quando ingeridos em grande escala.

Por esses e outros motivos, é essencial ficar atento aos componentes nos rótulos e embalagens de alimentos, podendo saber exatamente o que se está consumindo.

2. Mudar alguns hábitos

A maioria dos hábitos de vida, assim como os alimentares, são diretamente causados por costumes culturais ou cargas emocionais.

A compulsão alimentar é um exemplo de problemas emocionais que podem prejudicar uma pessoa, e essa compulsão traz um alto risco de obesidade.

Além de muitos outros problemas, como altos níveis de colesterol no sangue, levando a uma necessidade de cirurgias para melhorar esse quadro, como de criolipólise para barriga.

Cirurgias como essa ajudam a melhorar os níveis de colesterol no sangue e a fazer uma mudança de hábitos mais confortável, já que exige uma alimentação mais controlada no pré e pós-operatório.

Mas é um esforço que vale a pena, tendo em vista que ajuda a diminuir os níveis de colesterol e a entrar em uma rotina saudável que fará bem melhor ao corpo.

3. Comer frutas e vegetais

A base da alimentação para diminuir o colesterol ruim são as frutas, vegetais, grãos e hortaliças, porque eles contém uma quantidade mínima de gordura.

Em contrapartida, frituras e óleos vegetais saturados são itens proibidos para quem quer diminuir o colesterol e ter hábitos alimentares mais saudáveis.

Uma dica interessante é fazer bom proveito de raízes e ervas como pimenta, manjericão, orégano, canela, entre outros temperos mais naturais para dar mais sabor às comidas de uma forma mais saudável, sem condimentos processados.

Se você tem uma rotina corrida por trabalhar em empresas de limpeza terceirizada, é indicado ter sempre alimentos na bolsa, como frutas, para ajudar caso dê aquela fome fora de hora em dias mais cheios de trabalho, para evitar consumir lanches industrializados.

4. Reduzir o açúcar

Segundo recomendação da OMS (Organização Mundial da Saúde), o máximo que se deve ingerir de açúcar nos alimentos é 5% no total.

Isso inclui todo tipo de adoçante como xaropes de milho, sacarose, sucralose e principalmente os sucos de frutas que são concentrados, até os que não tem açúcar comum.

As substâncias se tornam gordura quando a metabolização desses açúcares estão sendo feitas, o que causa grande impacto no nível de colesterol, aumentando bastante esse nível.

5. Comer menos carne vermelha

Muitas carnes possuem uma alta quantidade de colesterol ruim, são exemplos as carnes de boi, carnes de porco, entre outros mamíferos, o que significa que devem ser evitadas em excesso.

Também é muito importante não consumir as gorduras visíveis dessas carnes ou até as peles delas, que são apenas gordura ruim, totalmente prejudiciais ao organismo.

Para substituir o alto consumo dessas carnes e as proteínas que elas contêm, é possível adicionar ao cardápio peixes, frangos e outras carnes magras, além de feijões e leguminosas, que são cheias de nutrientes.

6. Se movimentar

Muitas pesquisas científicas apontam que a realização moderada de atividades físicas podem ajudar consideravelmente a diminuir o colesterol ruim e mantê-lo controlado.

Praticar exercícios físicos se torna então essencial para ajudar na função vascular e até mesmo para ajudar a evitar ou diminuir o excesso de peso, para então poder voltar a usar aquela chopeira linda que você tanto gosta, mas com muito mais moderação.

Alimentos que melhoram o colesterol ruim

Segundo vários especialistas da área, o primeiro e também o mais importante passo que deve ser dado para diminuir o nível de colesterol ruim no sangue é começar pelas mudanças nos hábitos alimentares completamente.

Como ao criar uma nova área gourmet mais saudável na sua cozinha, ao invés de um local com comidas gordurosas e processadas.

Começando pelo café da manhã, que deve ser sempre composto por cereais com fibras e frutas naturais sem conservantes. Outros alimentos que devem ser incluídos nas refeições são os grãos integrais.

Farinhas ou outros maiores ajudam a diminuir consideravelmente os riscos de doenças cardíacas e a gordura no sangue, por causa das fibras solúveis que elas carregam.

Os feijões, também ricos em fibras solúveis, levam um tempo maior para serem digeridos, o que causa uma sensação de satisfação por mais tempo.

Vegetais como a berinjela tem baixíssimo teor calórico, são uma boa fonte de fibra solúvel e ótimos para quem quer melhorar o nível de colesterol.

Além disso, ingerir alimentos secos como amêndoas, nozes e amendoins faz muito bem ao coração, além de ajudar a diminuir os níveis de LDL que é o colesterol ruim no sangue.

O uso de óleos vegetais como girassol, cártamo, canola e outros ao invés de manteiga, banha ou outros óleos saturados ajuda a baixar consideravelmente o colesterol ruim.

Frutas, frutas ricas em pectina como maçã, banana e outras cítricas também ajudam a melhorar os níveis de colesterol por conterem essa fibra solúvel.

Por fim, uma forma muito eficaz para baixar o colesterol é se alimentar de soja e alimentos derivados dela como o leite e a carne de soja, além do tofu.

Conclusão

Mesmo as causas para o aumento do colesterol sendo na maioria das vezes inesperadas, é possível cuidar dos níveis de colesterol ficando mais atento aos compostos dos alimentos, além de praticar exercícios físicos moderadamente.

A alimentação saudável também é um bom caminho para quem deseja não só perder peso, mas melhorar as taxas de gordura no sangue e eliminar o colesterol ruim, que pode causar inúmeros problemas de saúde.

Esse texto foi originalmente desenvolvido pela equipe do blog Guia de Investimento, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos.