Junte-se a mais de 150.000 pessoas

Entre para nossa lista e receba conteúdos exclusivos e com prioridade!

Qual o seu melhor email?

Conseguir tirar alunos sedentários de casa e mantê-lo na academia é um dos principais desafios do profissional de Educação Física. Porém, muitas vezes a conquista derradeira pode ser através de um tipo específico de exercício.

A maior barreira para quem é sedentário é começar a atividade física, enfrentar o comodismo para se adequar a uma nova rotina mais ativa. 

É normal a indisposição, a irritabilidade, as desculpas. Isso acontece porque nosso cérebro não quer gastar energia, para ele é perfeito manter-se como está, sem mudanças, sem necessidade de novas adaptações. Além disso, os primeiros dias são extremamente desafiantes, devido a sensação dolorida do dia seguinte e o inevitável cansaço inicial. Ambos fazem parte do processo de adaptação. 

Para enfrentar esse período crítico, que leva a maioria a desistir, separamos 5 tipos de exercícios que conquistam alunos sedentários. 

Mas antes de embarcar no conteúdo vale lembrar a importância de conferir os exames médicos de seus alunos e perguntar se seguem algum plano alimentar. 

Independente do objetivo desejado, seja para emagrecer ou ganhar peso, a aliança entre a alimentação balanceada e o exercício físico é fundamental e o único caminho que confere resultados duradouros. 

Levando em consideração, claro, as condições individuais de saúde. É preciso saber os limites de cada aluno, para que o treino seja desafiante, mas igualmente confortável e não acarrete prejuízos fisiológicos. Então, cobre esse feedback dos médicos e nutricionistas. 

Principais motivos de desistência 

Vários estudos são realizados visando entender quais as principais barreiras que impedem as pessoas de iniciar uma atividade física e quais são os principais motivos que levam a desistência. Para nós, profissionais de Educação Física, o ambiente da academia é quase seu segundo lar, mas para um aluno pode ser só mais um compromisso irritante a ser cumprido no dia. 

Entender como funciona a vida de seu aluno e como ele lida com seu cotidiano pode ser crucial para a permanência dele no seu plano de treino. 

Dentre as queixas principais podemos citar a sensação de solidão, que é comum no ambiente de academia e que pode transformar a atividade física em um estressor, um estímulo negativo. Por ser fácil o aparecimento da monotonia, muitos alunos abandonam a musculação por não encontrar positividade naquele ambiente. 

Outra queixa é sobre a insegurança e sensação de abandono. Algumas pessoas acreditam que precisam já ter um corpo específico para se matricularem na academia, ou se cobram resultados imediatos, tem vergonha de errar a execução do movimento, se sentem deslocados e até com a sensação de abandono por parte do educador físico. 

E o terceiro e principal motivo é considerar os treinos inadequados para o que desejam, não encontrando os resultados esperados. Consequentemente não se sentindo estimulados a prosseguir. 

Esses são só algumas barreiras que os alunos precisam superar para aderir a atividade física. 

Por essa razão o trabalho do educador físico é também mental. Ser o melhor naquilo que faz não é só ter o treino perfeito, saber quais a estratégias ficas para atingir objetivos, também é saber lidar com todos esses problemas sociais que fazem parte do seu campo de atuação profissional.

Academia e o estresse

Acabamos de citar que a academia pode representar apenas estímulos negativos, podendo se tornar um estressor, ao invés de aliviar o estresse. 

Estudos modernos indicam que a academia se torna um ambiente similar ao local de trabalho por gerar competitividade – que pode ser através da comparação corporal –, sensação de solidão e encarar a hora da academia como um compromisso. 

Quando frequentar a academia se torna um estressor, tanto a desistência aumenta, quanto atrapalha o desempenho do aluno, o levando a enrolar durante o treino para terminar mais rápido. Consequentemente os resultados desejados não acontecem. 

Para contornar essas situações é importante se aliar a estratégias que transformem a ida a academia divertida, como, ter um parceiro de treino, elaborar desafios diários, incluir aeróbicos que o aluno mais gosta, obter uma abordagem mais divertida, estimular a continuar o treino, elogiar quando seu aluno completa uma sequência de movimento, lembrá-lo que já é uma vitória está ali. 

Munido com essas estratégias vai ser mais fácil romper a estigma ruim sobre a musculação. 

Entenda a preferência do seu aluno 

Seguindo a lógica apresentada no tópico anterior, é fundamental entender qual o perfil de exercício seu aluno prefere fazer. Pergunte se praticava esportes na época de escola ou se gosta de algum esporte. 

Elaborar um treino incluindo uma coreografia de dança, uma chegada na piscina ou uma sequência no boxe, por exemplo, podem ser a razão do seu aluno permanecer assíduo. 

Ou pode indicar as aulas ofertadas na academia, tal qual as de zumba, fitdance, jump e step. Intercalar o treino com essas aulas deixa a musculação divertida. 

Exercícios que conquistam alunos sedentários

Por fim vamos mostrar quais exercícios são melhores para conquistar aquele aluno sedentário, que recusa de todas as formas frequentar a academia. 

Usando o peso do corpo

Se o seu aluno está começando agora, independente da idade e do tempo de sedentarismo, comece ensinando os exercícios livres, que usam o peso do próprio corpo. 

Assim você consegue aliar um treino que deixará seu aluno menos dolorido no dia seguinte e ensinar a melhor execução possível. 

Muitas pessoas acham os exercícios difíceis de fazer, se sentem mal por errar, ou temem se lesionar, ou não gostam de se sentirem doloridos na manhã seguinte – detalhe que leva a faltas constantes, nunca permitindo o músculo se acostumar com a nova rotina. 

Sendo assim, pegue leve, faça um treino voltado para a consciência corporal, entender as limitações do corpo, o nível de flexibilidade. Começar dessa maneira vai ajudar a conquistar seu aluno e a fazê-lo se sentir bem quando cargas forem acrescentadas no futuro. 

Aeróbico como aliado

Melhorar o condicionamento físico com o aeróbico é uma estratégia para iniciar a musculação com mais confiança. 

Aliando o estilo de exercício que seu aluno prefere com um aeróbico intercalado entre os blocos e séries do treino fazem a diferença na conquista. Bem como permite que ele reproduza em casa, caso não se sinta bem para ir à musculação naquele dia.  

Essa estratégia deixa o treino mais dinâmico, divertido e rápido. Um dos desconfortos mais incômodos é sentir que não acaba nunca. Como se o tempo estacionasse quando adentra a academia. 

É aqui que você pode colocar aquela coreografia de dança, ou uma chegada na piscina, ou pode ser uma sequência de saltos com a corda, no jump ou uma corrida na esteira. Vai depender do que seu aluno prefere. 

Ou, pode usar o aeróbico como refúgio para os dias que o corpo está muito dolorido e seu aluno se sentir “travado”. Faça um alongamento bem caprichado e depois o leve para o aeróbico primeiro, para soltar os músculos e aquecê-los antes de começar. Ainda pode montar uma sequência de pequenos desafios para seu aluno completar no aeróbico caso ele não esteja disposto a puxar peso; é uma alternativa para fugir da rotina, digamos assim. 

Exercícios combinados

Por permitir que o treino seja mais rápido e dinâmico, exercícios combinados semelhantes a um circuito ou funcional, podem ser aliados poderosos para conquistar seus alunos sedentários. 

Obviamente é preciso escolher combinações leves, que sejam fáceis de executar e que tenham o objetivo de melhorar a consciência corporal, equilíbrio e flexibilidade. Focar nesses três quesitos reduzem as chances de lesões futuras e aumentam a confiança pessoal ao executar exercícios novos. 

Muitos acreditam ser a quantidade de peso que gera resultados satisfatórios, mas a maioria das vezes é a execução do movimento. Ensinar seus alunos sedentários a saberem os limites pessoais de seus corpos e como superá-los, além de aumentar as noções corporais, são essenciais para uma maior assiduidade por parte do seu cliente. 

Treino em dupla

É mais difícil contornar as conversas paralelas, mas é a melhor maneira de deixar o treino divertido, aumentar o estímulo e existir uma companhia na hora de treinar. 

Exercícios voltados para serem executados em conjunto “obrigada” que aquela dupla vá para academia junta e que façam o treino inteiro. 

Apostar em um plano de atividade física para parceiros de academia é vantajoso para quem não gosta de musculação e está começando agora. 

Desafios diários

Talvez seja uma das melhores estratégias, os desafios diários são bastante eficazes em combater a desistência e os estímulos negativos. 

Seja durante a execução da série ou no momento do aeróbico. Correr 5 minutos na esteira, fazer prancha de 30 segundos no intervalo das séries, esses são exemplos de pequenos desafios que podem ser inseridos no treino. 

O método de desafios diários é perfeito para aqueles alunos faltosos e indispostos a malhar. Uma dica excelente é criar um grupo com seus alunos e diariamente postar um desafio, pedindo que eles se filmem durante a execução das tarefas para provar que a fizeram. Você pode elaborar uma recompensa final, como uma avaliação gratuita, ou uma aula bônus. Vai da sua criatividade. 

Tanto ajuda os alunos sedentários a quererem continuar a musculação, como desfaz a rotina monótona de ir malhar. Além de incentivar a interação em grupo, afastando a sensação de solidão. 

Outra dica é elogiar a cada execução e lembrar ao seu aluno que é importante persistir, pois é com o tempo que os resultados surgem. 

Conclusão

Então, se munam com essas dicas e não esqueçam que aquela palavra de apoio pode ser a diferença em conquistar seu cliente derradeiramente. Entender que alunos sedentários muitas vezes têm um comportamento padrão pode te ajudar a entendê-los melhor, auxiliando no seu planejamento de aulas e estratégias para atraí-los de maneira mais eficiente.

Esperamos que esse artigo tenha te ajudado a combater esse problema tão comum na vida dos profissionais de educação física. Nos conte como foi sua experiência utilizando essas 5 dicas, escreva nos comentários.

Este artigo foi escrito em parceria por G M Rhaekyrion, redatora da A Folha Hoje,  um portal notícias, esporte, entretenimento e finanças.