Junte-se a mais de 150.000 pessoas

Entre para nossa lista e receba conteúdos exclusivos e com prioridade!

Qual o seu melhor email?

Você avaliou seu aluno cuidadosamente e percebeu o Core enfraquecido e sem ativação em alguns exercícios. Isso é um problema, mas você sabe exatamente as consequências de ter um Core enfraquecido?

No Treinamento Funcional colocamos um foco muito importante nos músculos que formam essa estrutura. Dá até para perceber como elas são trabalhadas em praticamente todos os movimentos, mesmo que eles foquem em membros inferiores ou superiores.

Nesse artigo queremos te mostrar algumas das principais consequências de ter um Core fraco ou mal ativado. Assim, você vai se convencer a começar a trabalhar Core agora mesmo com seu aluno. 

Aproveite para conferir algumas dicas para fazer um trabalho eficiente com essas musculaturas na sua aula. Confira!

As consequências de um Core enfraquecido 

consequencias-do-core-enfraquecido

Dor lombar

Os músculos do Core são importantes estabilizadores da coluna. Quando estão enfraquecidos ou pouco ativados, o aluno sofrerá com instabilidade nesta região. 

Agora lembre-se que a instabilidade é uma das prováveis causas da dor lombar e você entenderá a importância desses músculos.

Queda no desempenho

Vemos que atletas com má ativação do Core diminuem seu desempenho, seja em treinos ou competições. 

Isso torna-se ainda mais importante quando ele chega à fadiga, já que começa a apresentar compensações graves e possivelmente lesivas.

Outras articulações

Não é só a lombar que sofre quando o Core não está ativado. 

As compensações se espalham e o corpo pode começar a compensar com outras regiões, sobrecarregando articulações próximas como quadril e torácica.

Problemas posturais

Sem a ajuda do Core o aluno dificilmente conseguirá manter uma postura adequada, isso porque esses músculos são os principais responsáveis por manter a coluna estável e em uma posição fisiologicamente adequada.

Problemas na potência

Atletas enfrentam mais um problema quando estão sem ativar esses músculos. Eles também terão maior dificuldade de realizar movimentos que exigem potência já que o Core ajuda a realizar a transferência de forças pelas cadeias do corpo.

Dificuldades de joelho e tornozelo

O Core pouco ativado ou fraco também gera desvios no joelho e no tornozelo. Assim, o aluno poderá se lesionar ao correr ou praticar outras atividades físicas.

Conclusão

Todos que trabalham com Treinamento Funcional já estão trabalhando o Core. Essa região é extremamente importante e pode ser a fonte de dores e lesões mesmo em outras articulações. Por isso sempre lembre-se de trabalhá-lo em aula para garantir o desempenho e segurança do seu aluno.

Só pra lembrar uma coisa: musculaturas tensas não são a mesma coisa que fortes. 

É comum encontrar alunos com patologias ou dores que apresentam algum músculo do Core tensionado, nesse caso precisamos liberar essa tensão antes de trabalhar.