Share, , Google Plus, Pinterest,

Imprimir

Posted in:

Doping: Saiba Quais os Principais Tipos são Utilizados no Desporto

Geralmente associamos a palavra doping a casos que ocorreram aos atletas em jogos olímpicos ou outras competições de grande relevância. Essa palavra também é compreendida como substâncias ingeridas ou consumidas oralmente com o objetivo de obter vantagens sobre seus adversários.

Porém, o conceito de doping é bem mais amplo. Todo o ano a Agencia Mundial Antidoping – WADA publica a lista atualizada de substâncias proibidas para os atletas. As punições vão desde uma advertência até a possibilidade de o atleta ser banido do esporte.

Entre essas substâncias, existem aquelas que não podem em hipótese alguma ser usada por um atleta como são os casos de agentes anabolizantes. No entanto, existem também aquelas que acarretam em punições como os estimulantes.

Além das substâncias, existem ainda na lista WADA, métodos ilícitos, como técnicas que podem contribuir para vantagens tidas como injustas, mesmo não sendo encontrado nenhum medicamento ou hormônio ingerido pelo atleta, como no caso do doping sanguíneo.

Vamos expor aqui os tipos de doping, técnicas para burlar os testes antidopings, seus efeitos fisiológicos e as consequências que podem acarretar a saúde do atleta.

 O Que é Doping?

doping-1

Doping ou dopagem em português é conhecido como a aplicação de substâncias ou procedimentos ilegais que possibilitam modificações físicas e até mesmo psíquicas que trazem vantagens (mesmo que ilusórias), ao desempenho esportivo do atleta.

Portanto, entende-se como uma droga estimulante ilícita que, visa suprir temporariamente a fadiga, aumentar ou diminuir a velocidade e melhorar a execução do trabalho de um esportista.

Por ser ilegal, em 1968, no México, a comissão médica do comitê olímpico internacional elaborou testes que detectava o doping, punindo com a exclusão dos jogos qualquer atleta que fazia uso de tais substâncias.

Tipos de Doping

doping-2

Os principais tipos de doping banidos pela Wada (Agência Mundial Antidoping) são:

  • Estimulantes: são substâncias que agem diretamente no cérebro e também no corpo. Elas contribuem para o estado de alerta do atleta, de competitividade e de agressividade, diminui o cansaço e dá sensação de força e disposição.
  • Esteroides: os esteroides de fortalecimento, mas conhecidos como anabólicos, assemelha aos efeitos da testosterona, gerando nas células musculares e nos ossos a produção de proteínas. O usuário dessa droga consegue aumentar sua carga de treinamento.
  • Diuréticos: aumentam a produção de urina e reduzem o inchaço de tecidos provocado pela retenção de líquidos. Alguns atletas utilizam o diurético para perder peso ou para disfarçar a presença de outras substâncias em seu corpo.
  • Hormônio de Crescimento Humano (HGH): é um hormônio natural que estimula o crescimento e favorece a síntese de proteínas. O HGH auxilia a formação de músculos e tecidos.
  • Eritropoietina (EPO): hormônio sintetizado pelos rins para regular a produção de glóbulos vermelhos. O EPO artificial aumenta o número de glóbulos vermelhos, ampliando a capacidade de corpo de usar oxigênio. Muito utilizado por atletas que praticam esportes de resistência e atletas que realizam esportes de explosão.
  • Betabloqueadores: são consumidos para reduzir os batimentos cardíacos e conter tremores em modalidades como tiro ao alvo e arco e flecha.
  • Doping sanguíneo: injeção de glóbulos vermelhos ou de outros produtos semelhantes para aumentar o número dessas células no corpo. O sangue é extraído de um competidor, armazenado e depois reintroduzido cerca de um mês antes de uma competição.

Classificação dos Dopings

doping-3

As Classificações dos dopings são:

  • Pré-competitivo: hormona de crescimento e esteroides anabolizantes;
  • Durante a competição: doping calmante, doping analgésico, doping estimulante;
  • Pós-competitivo: diuréticos;
  • Doping sanguíneo;

O Doping pode ser discriminado em 7 categorias diferentes conforme os efeitos que o mesmo causa e a forma de ser aplicado no atleta:

  • Hormona do Crescimento

A hormona do crescimento ou hormonas peptídicas possuem diversas funções, entre elas a fixação peptídica, ou seja, elas auxiliam os músculos nas suas reações anabólicas, contribuindo para a fixação dos aminoácidos necessários a construção muscular. É produzida pela glândula pituitária (intramuscular), contribuindo para o aumento da resistência e da capacidade de transporte de oxigênio.

Há diversos tipos de hormonas peptídicas, entre elas destaca-se:

  • Eritropoietina: muito conhecido como EPO, já existe em nosso organismo estimulando a produção de glóbulos vermelhos, aumentando a resistência e a massa muscular do esportista em um período curto de tempo.
  • HCG: esta hormona é produzida pelo feto durante a gravidez, muitos homens fazem uso dela para o aumento da produção de esteroides no organismo. E pasmem! Muitas atletas engravidam de propósito, pois o HCG faz aumentar as concentrações de hormonas femininas, ocultando outras drogas dopantes no organismo, depois do teste de controle antidoping, as atletas abortam.
  • HC: hormona do crescimento é produzida em grande quantidade durante a puberdade, é ela que auxilia no crescimento humano e é também utilizada na construção e recuperação dos músculos.
  • LH: existe naturalmente em nosso corpo e é usada para estimular a produção de testosterona nos testículos.

Os esportistas que mais usam essas substâncias perigosas são os halterofilistas, culturistas e lançadores. Porém o uso dessas drogas causas danos irreversíveis ao corpo como: deformações ósseas, distúrbios hormonais, miopia, hipertensão, coágulos sanguíneos, diabetes, doenças articulares.

  • Esteroides Anabolizantes

Essa é considerada a droga mais usada nos esportes de alta competição e de grande força muscular. Os esteroides encontram-se naturalmente em nosso corpo, principalmente nos homens. Sua função é desenvolver a massa muscular e a massa óssea, por isso, ela atrai os atletas a utilização da mesma com o intuito de potencializar o efeito anabólico.

Os esteroides possuem duas funções no nosso organismo que são: a função androgênica e a função anabolizante.

  • Função androgênica dos esteroides: são responsáveis pelas características sexuais masculinas como: crescimento de barba, pelos pubianos, engrossamento da voz, desenvolvimento do pênis e testículos;
  • Função anabólica: é responsável pelo desenvolvimento da massa muscular e massa óssea;

Esses esteroides podem ser consumidos oralmente ou podem ser injetáveis, porém quando consumidos via oral, eles passam pelo fígado, sofrendo um processo de alcalinização (processo extremamente prejudicial ao fígado).

Essas drogas são proibidas nos esportes, pois dão uma vantagem enorme aos atletas que as utilizam em relação aos outros atletas que não fazem uso dessas substâncias.

  • Doping Calmante

O efeito do doping calmante restringe-se a coibir a frequência cardíaca, ou seja, diminuir os batimentos do coração e também o tremor. São muito utilizados, porém, em modalidades que requerem precisão e autodomínio. Os beta-bloqueantes são substâncias calmantes mais consumidas pelos atletas.

Eles são semelhantes aos analgésicos, pois ajudam a combater o nervosismo, stress e ansiedade. Alguns beta-bloqueantes mais utilizados são:

  • Acebutolol;
  • Alprenolol;
  • Atenolol;
  • Labetolol;
  • Metipranolol;
  • Pindolol;

Com a diminuição do ritmo cardíaco, pode ocorrer a tensão arterial baixa, acarretando numa possível parada cardíaca. As modalidades que estão proibidas de utilizar qualquer um desses dopings são: tiro ao alvo, tiro com arco, bilhar, xadrez, nado sincronizado.

  • Doping Analgésico

Assim como os beta-bloqueantes, os dopings analgésicos são calmantes e também ajudam a diminuir a dor. Assim, o atleta aguenta mais tempo durante as atividades, aumentando naturalmente sua resistência, pois os mesmo ficam menos propensos à sofrer por lesões. Muitos maratonistas e triatletas, por exemplo, utilizam os analgésicos.

Exemplos de analgésicos utilizados pelos desportistas são:

  • Morfina;
  • Metadona;
  • Petidina;
  • Doping Estimulante

O doping estimulante é o segundo mais usado pelos atletas, perdendo apenas para os esteroides. Essa substância intensifica e acelera as atividades cerebrais, fazendo com que respostas do sistema nervoso sejam mais rápidas, resultando então numa maior resistência às atividades e menor cansaço.

Algumas dessas substâncias são:

  • Anfetaminas;
  • Estricnina;
  • Cafeína;
  • Cocaína;

São ingeridas oralmente, ou por inspiração nasal, por injeções e até mesmo através do ato de fumar.

Essas drogas fazem com que o atleta tenha uma grande vantagem em relação aos outros atletas tidos como “limpos”, pois o sistema nervoso deles fica mais ativo do que o normal.

  • Doping Sanguíneo

Este doping consiste no aumento do volume sanguíneo através de transfusão de sangue. o objetivo dessa transfusão é aumentar a capacidade de transporte de oxigênio. Porém na grande maioria das vezes o sangue utilizado nesse procedimento é o sangue do próprio atleta. Esta infusão endovenosa de sangue induz eritrocitemia, ou seja, o aumento dos glóbulos vermelhos circulantes no sangue, fazendo com que há um aumento do transporte de oxigênio, como havia dito.

O doping sanguíneo pode aumentar a capacidade de um atleta que pratica atividades de endurance, ele reduz também a sensação fisiológica de esforço durante exercícios em altas temperaturas e também em grandes altitudes. Ele também está relacionado em fracassar e prejudicar o desempenho do atleta.

O método consiste entre oito e doze semanas antes da competição, onde são retiradas duas unidades de sangue do atleta, são separadas então as hemácias do plasma: as hemácias são congeladas para manter sua conservação e perder o mínimo possível de hemácias. Depois essas hemácias são reconstituídas com solução salina e são transfundidas em mais ou menos duas horas, a infusão é feita no atleta entre um a sete dias antes da competição.

Fatores de Risco

doping-4

Os riscos são inúmeros para quem faz uso dessas substâncias nocivas à saúde humana. Segue os efeitos colaterais, os fatores de risco e os possíveis distúrbios causados pelo uso contínuo de doping:

Hormona de Crescimento provoca:

  • Deformações ósseas,
  • Distúrbios hormonais,
  • Miopia,
  • Hipertensão,
  • Coágulos sanguíneos,
  • Diabetes,
  • Doenças articulares;

Esteroides Anabolizantes provoca:

  • Traços masculinos em mulheres;
  • Infertilidade;
  • Impotência;
  • Danos nos rins;
  • Aumento da pressão sanguínea;
  • Endurecimento das artérias, acarretando em doenças coronarianas;
  • Doenças hepáticas;
  • Alguns tipos de câncer;

Os esteroides anabolizantes provocam muitos males a saúde e o seu uso prolongado pode fazer com que ocorra um desequilíbrio hormonal no organismo do homem, ocasionando efeitos como: calvície, acne, aumento da agressividade, desenvolvimento anormal dos seios, hipertrofia da próstata, insônia, nível de colesterol desregulado, complicações cardíacas, redução na produção de espermatozoides, mau halito e tremores.

Doping calmante pode provocar:

  • Fadiga;
  • Depressão;
  • Falência do coração;

O consumo de beta-bloqueantes provoca hipotensão e parada cardíaca, além de asma, hipoglicemia, insônia e impotência sexual.

Doping Analgésico pode provocar:

  • Quando usado para reduzir a dor de uma lesão, na verdade pode agravá-la;
  • Perda de equilíbrio e coordenação;
  • Náuseas e vômitos;
  • Insônias;
  • Depressão;
  • Diminuição da frequência cardíaca;
  • E quando tomado em excesso overdose;

Doping Estimulante provoca:

  • Aumento da pressão sanguínea e temperatura corporal;
  • Batimento cardíaco irregular;
  • Paradas cardíacas;
  • Derrames;
  • Euforia;
  • Insônia;
  • Alterações de comportamento;
  • Tremores;
  • Respiração acelerada;
  • Confusão cerebral;

Doping Sanguíneo pode provocar:

  • Infecções virais como hepatite;
  • Infecção por citomegalovírus ou a AIDS;
  • Infecção bacteriana;
  • Reações fatais por identificação equivocada do sangue;
  • Falência dos rins e fígado;
  • Danos cerebrais;

Diuréticos podem provocar:

  • Desidratação;
  • Cãibras;
  • Doenças reanais;
  • Perda de sais minerais;
  • Alterações no volume de sangue;
  • Alterações no ritmo cardíaco;

Efeitos Fisiológicos no Corpo

doping-5

Os efeitos no corpo e organismo do atleta que faz uso de doping são variados:

  • Doping sanguíneo, por exemplo, aumenta a potência aeróbica máxima, pois durante o exercício aumenta a capacidade de transporte de oxigênio até a célula muscular. Depois de feito o procedimento, é produzido ajustes fisiológicos compensatórios que preservam o efeito aeróbico, restaurando o volume sanguíneo ao normal sem alterar a atuação cardíaca. Alguns efeitos fisiológicos negativos ao corpo são: febre, urticária, reações hemolíticas graves e choque anafilático.
  • Calmantes ou betabloqueadores: agem no sistema nervoso simpático, diminuindo a velocidade das frequências e das contrações cardíacas;
  • Estimulantes: agem no sistema nervoso simpático, responsável por estimular ações que permite o organismo a responder situações de estresse;
  • Analgésicos: reduzem a liberação de neurotransmissores em algumas células nervosas, eliminando a disseminação de estímulos dolorosos;
  • Diuréticos: influenciam no funcionamento dos rins ao alterar a quantidade de água reabsorvida pelo corpo, o que aumenta o fluxo de urina;
  • Anabolizantes esteroides: a substância vai até o receptor hormonal dentro da célula, interage com o DNA e estimula a síntese de proteína, que promove ganho muscular;
  • Hormônio de crescimento: no fígado estimula a secreção de proteína que induz a produção e regeneração das células;

Os Principais Casos de Doping

doping-6

O americano Thomas Hicks para vencer a maratona de Saint-Louis, na Olimpíada de 1904, ingeriu um estimulante a base de ovo, conhaque e estricnina durante a prova, no que ficou conhecido como o primeiro caso de doping olímpico da história.

Meio século depois, o número de casos de doping explodiu e as falcatruas se diversificaram. Os principais casos de doping no mundo e que repercutiu em toda a esfera esportiva são:

  • Estimulantes: Asafa Powell, velocista jamaicano usou a substância oxilofrina e foi suspenso por seis meses após testar positivo;
  • Analgésico: também velocista jamaicana Shelly Ann Fraser Pryce, medalha de ouro em Pequim 2008 e Londres 2012, foi suspensa em 2010 após seu exame dar positivo por usar oxicodona. Segundo a atleta, o uso do medicamento foi por causa de uma dor de dente;
  • Calmantes: o norte-coreano Kim Jong-Su, atleta da modalidade tiro esportivo, perdeu as medalhas de bronze e prata conquistados em Pequim 2008, após o teste dar positivo para propranolol;
  • Doping Sanguíneo: o ciclista americano Lance Armstrong perdeu bronze de Sidney 2000, após confessar o uso de EPO;
  • Diuréticos: Daiane dos Santos, ginasta brasileira, testou positivo para o diurético furosemida em 2009 e foi suspensa por 5 meses;
  • Esteroides Anabolizantes: o atleta canadense Ben Johonson, perdeu a medalha de ouro em Seul 1988, por utilizar a substância estanolozol;
  • Hormônio de crescimento (hGH): o jogador britânico de rugby Terry Newton foi o primeiro atleta a ser pego por uso de hGH, em 2010;

Alguns atletas brasileiros pegos no teste antidoping são:

  • Cesar Cielo (natação): testou positivo para diurético furosemida em 2010 e foi apenas advertido;
  • Maurren Maggi (salto em distância): seu exame deu positivo com doping por anabolizante clostebol.Ela foi suspensa por dois anos;
  • Anderson Silva (artes marciais mistas): uso de ansiolíticos e anabolizantes. Foi afastado por um ano em 2015;
  • Romário (futebol): no ano de 2007, testou positivo para finasterida (substância presente em remédios para calvície), foi absorvido;
  • Rodrigo Pessoa (hipismo): foi suspenso por 135 dias, após uma substância proibida ser detectada em seu cavalo nas Olimpíadas de Pequim em 2008;
  • Giba (vôlei): em 2002 o jogador testou positivo para maconha e foi suspenso por 8 jogos na liga italiana;
  • Hugo Parisi (saltos ornamentais): tornou-se o primeiro brasileiro a ser suspenso por doping nesta modalidade ao usar um anti-inflamatório para garganta, o glicocorticoide;

Cuidados e Restrições

doping-7

A Dopagem pode provocar sérios riscos para a saúde do atleta, inclusive risco de vida.

Muitas vezes a regularidade de uso ou as altas doses de medicamentos utilizados em práticas de dopagem são extremamente perigosas, isso porque diferem totalmente daquelas adotadas para fins terapêuticos, mesmo porque o uso indiscriminado de doping vicia como qualquer outra droga, sem contar os riscos para a integridade física e para a saúde já descritos acima.

Portanto, analgésicos e calmantes devem ser prescritos por médicos e usados com cautela e, em relação aos esteroides anabolizantes, são totalmente desaconselhado o seu uso.

 Conclusão

doping-8

A utilização de substâncias ilícitas nos jogos olímpicos e no esporte em geral, sempre gerou grandes polêmicas no mundo desportivo. o doping tornou-se um problema de grande extensão e relevância, até porque essas substâncias  são cientificamente comprovadas quanto à melhora da capacidade aeróbica de um atleta e em contrapartida, podem acarretar em danos irreversíveis aos mesmos.

Sabemos que o controle do uso de doping é demasiadamente difícil. Atualmente, não existe nenhum método capaz de confirmar com total segurança se um atleta fez uso de doping sanguíneo, por exemplo.

Por isso, existe a necessidade de difundir entre os esportistas o comportamento íntegro, honesto e principalmente, despertar a consciência tanto dos atletas como de pessoas comuns sobre o risco de utilizar esses elementos e as consequências negativas para a saúde dos mesmos.

REFERÊNCIAS

Conheça os principais tipos de doping no esporte. Disponível em:<<.http://esportes.estadao.com.br/noticias/jogos-olimpicos,tcu-determina-que-ministerio-do-esporte-apresente-gastos-atualizados-dos-jogos-olimpicos,70001950358>> Publicado em: 29 jul 2008. Acesso em 29 ago. 2017;

Dopagem. Disponível em: <<http://www.abcd.gov.br/perguntas-e-respostas/238-dopagem>> Acesso em: 28 ago. 2017;

Doping. Disponível em:<<http://www.portalsaofrancisco.com.br/esportes/doping>>. Acesso em 30 ago. 2017;

Doping sanguíneo você sabe o que é isso? . Disponível em: <<https://personalfortuna.wordpress.com/2013/04/16/doping-sanguineo-voce-sabe-o-que-e-isso/>> Publicado em: 16 abr. 2017. Acesso em: 30 ago. 2017;

Esporte sujo, o que é doping. Disponível em: <<http://temas.folha.uol.com.br/doping/o-que-e-doping/substancias-proibidas-sao-usadas-para-trapacear-mas-tambem-por-desatencao.shtml>>Publicado em: 28 jul. 2016. Acesso em: 29 ago. 2017;

Tipos de doping. Disponível em:<<http://doping.informe.com/blog/tipos-de-doping/>> Acesso em: 28 ago. 2017;

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *