Share, , Google Plus, Pinterest,

Imprimir

Posted in:

Especial Pilates no Esporte – Boxe

Os seis princípios essenciais do Pilates (respiração, centralização, fluidez, concentração, precisão e controle) são grandes aliados do Boxe pois, através deles, o atleta adquiri o conhecimento do funcionamento do corpo e o reconhecimento de seus limites durante a prática do mesmo.

Além disso, o Método Pilates tem se estabelecido com o objetivo de diminuir os movimentos compensatórios e restabelecer os movimentos naturais da articulação, amenizando as dores e mantendo toda região da área lesionada íntegra, forte e saudável, o que proporciona o retorno do atleta as suas atividades no Boxe o mais rápido possível.

Pensando nisso, no Especial Pilates no Esporte preparamos este texto sobre Pilates e Boxe, para que você possa conhecer os benefícios do Método para este esporte. Confira abaixo!

O que é Boxe?

O Boxe ou pugilismo (bater com os punhos), surgiu na Inglaterra entre 1000 e 1850, é um esporte em que os lutadores usam apenas os punhos tanto para a defesa quanto para o ataque. No Brasil este esporte teve início no século XX, através dos imigrantes alemães e italianos, que residiam no Rio Grande do Sul e em São Paulo. A primeira luta realizada no Brasil foi no ano de 1913, na cidade de São Paulo.

No Boxe, o atleta Brasileiro que se destaca atualmente é Robson Conceição o pugilista de 27 anos, da categoria até 60kg. Ele se tornou o primeiro brasileiro campeão olímpico nas Olímpiadas de 2016. Outro esporte de combate que mais cresce no mundo e é acompanhado por muitos brasileiros é o MMA (Artes Marciais Mistas), o primeiro evento foi nos Estados Unidos no início dos anos 90.

Atualmente os brasileiros destaques neste esporte, são os atletas Victor Belfort, Amanda Nunes, Claudia Gadellae José Aldo.

Lesões no Boxe e MMA

No Boxe e no MMA o contato físico é predominante, por usar a força dos membros a maioria das lesões é traumática, acometendo principalmente as extremidades superiores e a face.

De acordo com o estudo de Beltrani Filho et al. (2009), foram realizadas 1.446 lutas, apresentando 291 lesões, representados por nocautes (48,8%), sangramentos nasais (23,5%), lesões musculoesqueléticas (15,5%), ferimentos corto-contusos (8,6%) e hematoma palpebral (3,6%).

Entre as lesões musculoesqueléticas, 5,8% foram lesões ligamentares nas mãos e punhos, 3,7% fraturas nas mãos e punhos e 2% luxações glenoumerais. Em todos os combates há lesão, neste caso o atleta deve ter mais cuidados durante a sua reabilitação, para voltar a competir na sua melhor performance.

Pilates e Boxe

O Pilates é um Método que auxilia o ser humano em diversas fases da vida, podendo beneficiar o mesmo de várias formas diferentes.

O Boxe por sua vez, é um esporte que ajuda na resistência do corpo, além de colaborar para o ganho de tônus muscular. Desta forma, ao aliar o Método ao Boxe, este indivíduo colabora para a melhora de sua saúde em geral, além de ampliar o seu condicionamento.

O Pilates, atua de forma gradual, onde você pode trabalhar o Método ajudando seu aluno a melhorar seu desempenho no Boxe através de:

Sendo assim, quando seu aluno pratica Pilates, ele ganha um melhor desempenho no Boxe, podendo então ter grande êxito em suas lutas, além de evitar as possíveis lesões que estão sujeitos em uma luta.

Como o Pilates Ajuda na reabilitação das lesões no Boxe

O método Pilates traz benefícios não só na reabilitação destes atletas, mas também a prevenção de lesões durante a prática do Boxe. Os exercícios podem ser realizados tanto nos aparelhos como no solo e bola.

O Pilates trabalha o corpo como um todo, fortalecendo a musculatura estabilizadora do tronco, trabalhando a respiração, coordenação, concentração, flexibilidade, alinhamento, consciência corporal, força muscular e equilíbrio. Além disso, ajuda a reduzir o stress do dia a dia.

Como sabemos todo esporte exige bastante empenho e concentração durante sua execução. Através do Pilates o instrutor pode orientar alguns exercícios determinados a corrigir os desequilíbrios musculares e aumento de força muscular, com isso o atleta vai obter maior confiança em seus movimentos e consequentemente aumentar sua performance no esporte.

Método Pilates e o fortalecimento do corpo

O Método Pilates enfatiza o fortalecimento do centro do corpo (powerhouse), que é constituído pelo músculo transverso do abdome, multífidos, diafragma e assoalho pélvico. Quando fortalecidos ajudam na estabilização e equilíbrio corporal, reduzindo os riscos de lesões.

Outro fator muito importante é o trabalho da respiração associado com a centralização, que é um dos princípios do Pilates, os dois juntos são essenciais durante a prática, pois ajuda os atletas durante as provas a manter uma boa resistência e a frequência cardíaca controlada.

Os alongamentos também devem ser enfatizados durante a prática do Método, pois quando realizados, permitem uma melhora na amplitude articular do movimento, proporcionando uma melhora no gesto desportivo, prevenindo estiramentos musculares, dor e, consequentemente, promovendo o relaxamento muscular.

Conclusão

O Boxe é um esporte que exige muito do ser humano, pois ele é composto por um grande contato físico, além de movimentos e golpes que exigem uma grande precisão. Desta forma, quando se pratica o Boxe, o praticante está sujeito à diversas lesões e até mesmo patologias, que comprometem o seu dia-a-dia.

Praticando Pilates como auxílio para o Boxe, o praticante garante diversos benefícios que auxiliam tanto para a prevenção dessas lesões, quanto para o condicionamento em si. Por isso praticar Pilates é muito vantajoso em qualquer fase da vida.

 

 

Referências

BARSOTTINI, Daniel; GUIMARÃES, Anderson Eduardo; MORAIS, Paulo Renato de. Relação entre técnicas e lesões em praticantes de judô. 2006. Disponível em: <http://www.scielo.br/pdf/rbme/v12n1/v12n1a11.pdf>. Acesso em: 2 maio 2017.

BASE, Luís Henrique et al. Lesões em surfistas profissionais. 2007. Disponível em: <http://www.scielo.br/pdf/rbme/v13n4/08.pdf>. Acesso em: 3 jun. 2017.

BELTRANI FILHO, Carlos Augusto et al. Lesões esportivas durante lutas no boxe amador. 2009. Disponível em: <http://files.bvs.br/upload/S/1983-2451/2010/v35n1/a005.pdf>. Acesso em: 3 jun. 2017.

CARVALHO, A. P. et al. Prevalência de lesões no judô de alto rendimento. Revista Brasileira de Fisiologia do Exercício, 2009. São Luis, v. 8, n. 1, p. 14-19. Acesso em: 2 de maior de 2017.

DARIO, Bruno Estevan Siqueira; BARQUILHA, Gustavo; MARQUES, Reinaldo Monteiro. Lesões esportivas: um estudo com atletas do basquetebol bauruense. 2010. Disponível em: <http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0101-32892010000300014>. Acesso em: 2 jun. 2017.

HIGASHI, Renan Hideki. Lesões musculoesqueléticas em jovens atletas de handebol: um estudo transversal. 2012. Disponível em: <http://www.scielo.br/pdf/fp/v22n1/1809-2950-fp-22-01-00084.pdf>. Acesso em: 2 jun. 2017.

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *